28 de fevereiro de 2015

Também se dão os parabéns a mitómanos?

O Sport Lisboa e Benfica diz que faz hoje 111 anos. Em relação a datas de comemoração de aniversários do clube, podemos ler num documento .pdf intitulado "AS VERDADES DETURPADAS DA HISTÓRIA DO BENFICA" e que está alojado no site oficial do Benfica, isto:


"A primeira grande comemoração de aniversário de que há notícia escrita bem desenvolvida ocorreu em 1910, onde está explícito que se “organiza uma festa para comemorar os seis anos de existência do SLB” [ver Os Sports Ilustrados]. E assim, sucessivamente, ao longo do tempo. Nada foi “esticado“ nem manipulado." 



Vamos lá então ver o que diz Os Sports Illustrados #8, do dia 30 de julho de 1910, seis dias após a realização da festa de aniversário do Sport Lisboa e Benfica, disponível a toda a gente no sítio da Hemeroteca Digital da Câmara Municipal de Lisboa:



"No domingo passado, 24, realizou o Sport Lisboa e Benfica um concurso de sports atléticos no seu campo de Benfica, para comemorar o 4º aniversário da fundação do clube."


O "4º aniversário" e não "os seis anos de existência".

primeira-página do jornal Os Sports Illustrados, #8, 30 de julho de 1910





"Nada foi “esticado“ nem manipulado." lol.




Fontes: 

AS VERDADES DETURPADAS DA HISTÓRIA DO BENFICA

Hemeroteca Digital da Câmara Municipal de Lisboa

26 de fevereiro de 2015

Rúben Vinagre, juvenil do Sporting

Lembrei-me de ter lido algures nos últimos dias qualquer coisa sobre um tal Rúben Vinagre, jogador juvenil do Sporting, poder sair do clube ou que já teria mesmo saído. Não liguei, não conhecia o nome - conheço os da equipa principal e B e pouco mais - mas hoje lembrei-me novamente deste nome...








... quando li no Facebook este post na página oficial de uma empresa de representação/agenciamento de jogadores, a Super Stadium, gerida pelo benfiquista Paulo Rodrigues, o mesmo que levou o Zé Turbo para o Inter.


Resolvi googlar o nome "Rúben Vinagre" e dou com esta "notícia" de ontem num site italiano e onde um tal Marco Correia, advogado, dá a sua opinião sobre o futebol português (Benfica e Porto são Real e Barça, Sporting é o Atlético) e sobre os melhores jogadores jovens portugueses.

Fala de Gonçalo Guedes, claro, de Zé Turbo (Balotelli com a cabeça do Zanetti, diz ele), Pedro Delgado (não conheço), Bubacar Djaló (o novo Pogba, dizem os sites italianos citando tipos ligados a Paulo Rodrigues, lol) e o Rúben Vinagre, que será o "novo Ronaldo", nas palavras do advogado português.

Mais uma googladela e leio este comentário no site d'A Bola, escrito há quatro dias:



"Enfim a equipa B ganharia ao pseudo clube da formação (Sporting), mas que nem pagava 25€ por mês ao Vinagre jogador internacional sub16 e agora vão vê-lo no Manchester. Digno clube formador. Não acreditam esperem pelas próximas notícias."



Pronto, mais um que o Paulo Rodrigues foi pescar a Alcochete, é isso, não é?


24 de fevereiro de 2015

"Nani está contente em Alvalade e quer ficar mais um ano"

Nani está contente em Alvalade e quer ficar mais um ano, diz o irmão José Almeida, irmão do futebolista leonino, desdramatiza as lágrimas do extremo e garante que, apesar de ter convites, o facto de estar perto da família leva-o a querer ficar em Alvalade.







Nani marcou um golo no domingo, frente ao Gil Vicente, que correu mundo. E chorou. E o país futebolístico perguntou por que razão o extremo se emocionou, pois não é comum vê-lo fora de controlo. A justificação tarda em chegar e nem o irmão José Silva consegue encontrar uma explicação para o que se passou ao minuto 69 do encontro entre os leões e os minhotos de Barcelos. Ainda assim, nas entrelinhas, deixa escapar que algo da esfera da vida privada pode estar a condicionar o rendimento desportivo de Nani. "Ainda não falei com ele, enviei-lhe uma mensagem a dar os parabéns pelo golo. A verdade é que ele não costuma ser assim, passou por momentos mais complicados no Manchester e nunca o vi chorar. Até por isso fiquei preocupado com o que se passou", diz ao DN José Almeida, que depois faz uma pequena adenda: "Problemas temos todos. Ele tem a sua família, o que se passa em sua casa não temos de saber.

Ninguém saberá, são coisas da sua vida." Desde que regressou de uma lesão contraída no final do ano passado, Nani tarda em reencontrar a boa forma. Pelo golo, e respetiva beleza, José Almeida vê nesse momento, por ventura, uma forma de virar a página. "Talvez ele tenha sentido que retirou uma enorme carga das costas. São coisas da vida, ele está habituado à crítica. Há muitos que passam por esses momentos e que não conseguem libertar-se. Ele conseguiu e agora as coisas vão começar a correr melhor, sem dúvida", sustenta.

A beleza do Natal

A conversa chega a um ponto em que é inevitável abordar como vai ser o futuro de Nani, emprestado, até ao final da presente época, pelo Manchester United ao Sporting. E, sem o esperarmos, falamos do Natal, essa bela quadra que os futebolistas a trabalhar em Inglaterra não conseguem viver na plenitude. E tudo isto vem a propósito das reais possibilidades de Nani em manter-se de verde e branco na próxima temporada. "Acho que ele tem sérias possibilidades de permanecer no Sporting. E vou dizer-lhe mais: se ele ficar, o segundo ano será ainda melhor. Não acredito que o Van Gaal [ treinador do Manchester United] seja a pessoa ideal para trabalhar com o Nani. E, como Nani tem mais três anos e meio de contrato com o Manchester United, sinto que se os dois clubes se entenderem ele ficará feliz, porque está contente no Sporting. Sabe, houve uma coisa importante para ele neste ano: o Natal. Ele nunca festejou o Natal em Inglaterra por causa do boxing day. E o Natal para ele foi melhor do que tudo, perto da família, e isso é importante para ele, sentir a família perto", desvenda José Almeida.

Os convites e as funções

Nani regressou ao Sporting em condições muito especiais. O Manchester United paga-lhe integralmente o vencimento — cinco milhões de euros anuais —e o Sporting usufrui do seu talento. Tudo isto foi possível porque Louis Van Gaal perdeu-se de amores por Marcos Rojo. Agora, e percebendo-se que dificilmente voltará a Old Trafford, há pelo menos o receio de o Sporting não ter pedalada para acompanhar outros clubes quando Nani analisar propostas. "Ele já não é nenhum miúdo, para o ano faz 29 anos, depois faz 30 e os clubes, pelo menos os grandes, gostam de talentos jovens. Mas sim, ele tem convites, estamos nós, a família, a tratar disso e há mais uma pessoa que está metida no meio. Ainda assim, acho que se as funções dele no Sporting ficarem bem esclarecidas, e os clubes se entenderem, ele desejará ficar. Pode fazer no Sporting mais um, dois anos e depois pensar num contrato economicamente vantajoso, no Dubai ou nos Estados Unidos, um pouco como fez o David Beckham", avança José Almeida, revelando um pouco daquele que pode ser o futuro do futebolista.


Marco Silva é, segundo o irmão de Nani, alguém que entende muito bem o internacional português: "Já falámos sobre isso e ele considera o Marco Silva uma boa pessoa. Fala dele com apreço e é uma das pessoas com quem tem uma relação mais próxima dentro do Sporting." Aconteça o que acontecer, com dores ou sem dores, como deixou subentendido Nani no final do encontro deste domingo, o extremo é a grande esperança leonina para os três importantes encontros que se avizinham: Wolfsburgo, na quintafeira, Liga Europa; FC Porto, no domingo, Liga; Nacional, Taça de Portugal, na quinta- feira dia 8 de março. Talvez por isso Nani tenha deixado ontem a sua profissão de fé numa rede social: "Quando se acredita Nele, tudo é possível."

22 de fevereiro de 2015

O Bart é lampião e a Lisa é leoa

Quando se confronta um lampião com mais um jogador adversário expulso ou um golo mal anulado, ou seja, o vulgo "colinho", a resposta é sempre a mesma, "Ah, ganhávamos na mesma". Aliás, esta é a resposta típica do treinador e jogadores do Benfica nas entrevistas pós-jogo: "Ganhávamos na mesma".

Ok, mas quem garante isso?


Há um enigma filosófico muito giro e que me lembro de ouvir há anos. Este:






"Se uma árvore cai e não está lá ninguém, ela faz barulho?"


Os crentes respondem sempre que sim, que faz barulho. Outros, diriam que não, que o som é o resultado da agitação do ar e que sem ouvidos para receber tais vibrações, não haveria som. Para haver som, teria de estar lá alguém para ouvir. Este enigma poderá não ter uma resposta absoluta mas tem, pelo menos, o condão de nos deixar em dúvida, em alerta, de questionar.



Nove jogos (Moreirense 2x) a jogar com mais um em vinte e dois é muita fruta.





Poderia o Benfica ganhar na mesma aqueles jogos em que foram expulsos jogadores ou (mal) anulados golos adversários? Os benfiquistas responderão sempre que sim. Outros duvidariam. O problema é que este enigma não gera debate em Portugal, além, naturalmente, de Sportinguistas e Portistas. Os benfiquistas, outrora fervorosos debatedores da "verdade desportiva", "fairplay" e outras coisas do género, abstém-se de comentar hoje em dia e a única palavra que lhes ouvimos sair da boca/teclado é apenas "azia". É normal, já todos sabemos quão hipócritas são os lampiões na hora das vitórias; o pior é que já nem sequer os jornalistas se questionam. É muito mais fácil ver apenas a árvore e não a floresta.



Obviamente, se os Simpsons gostassem de futebol português, o Bart seria lampião e a Lisa seria leoa.






21 de fevereiro de 2015

#LigaMickeyMouse

- "Só depois das expulsões é que ganham"

- "Não nos deixaram fazer mais"

João Pedro, jogador do Moreirense.

#LigaMickeyMouse

17 de fevereiro de 2015

Pós-derby (fora de campo)

Tem de ser: o pós-derby.


Tudo começou na infame tarja “VERYLIGHT 96” erguida durante minutos por adeptos benfiquistas no derby de futsal disputado no pavilhão da Luz. E ainda cantavam “E foi o very-light que o fodeu, oh oh” ao mesmo tempo que assobiavam, imitando o som de foguetes. Magnífico. Imaginem um jogo entre a selecção de Israel e Alemanha, em Munique, e aos vinte e tal minutos de jogo ser desfraldada uma tarja dizendo “AUSCHWITZ 44”, ao mesmo tempo que os adeptos alemães silvavam um estridente “Sssssssssss”, como que imitando o gás a ser libertado numa das câmaras de morte nazi. Pior. Imaginem que a Merkl estava na bancada, sem reagir e sem que alguma autoridade mandasse retirar a tarja e/ou apreender os que a levantaram. Pior ainda. Imaginem que o jogo terminava e nem no dia seguinte a Merlk ou o Estado alemão tinham efectuado um mero pedido de desculpas público a Israel e aos israelitas. Alguém seria capaz de de censurar Israel se cortasse relações institucionais com a Alemanha? 




A desculpa dos lampiões, é uma tarja exibida em Alvalade que dizia “SIGAM O KING”. O “KING”, presumidamente, seria uma referência a Eusébio da Silva Ferreira, considerado ainda por muitos como o melhor jogador português de sempre. O Eusébio, para bem ou para o mal, feliz ou infelizmente, já faz parte do imaginário popular português e mundial – é um mito. Não um mito como qualquer coisa que não corresponde à verdade mas um mito como sendo algo transcendental, uma lenda, um “deus”. Para os benfiquistas, nesta religião que é o futebol, sem dúvida que Eusébio será um deus e, claro, um mito. Até para não-benfiquistas. Ora, os mitos não são humanos e aqueles que o eram, deixaram de o ser assim que se tornaram mitos. Um mito é-o para o bem e para o mal. Tanto se celebra um mito como se o ofende. Dizer para seguirem o King é tão ofensivo como dizer “vai chatear o Camões”. Eusébio é um mito e os mitos ou vão para o Panteão ou para o caralho. Camões, Dom Sebastião e Afonso Henriques que o digam. 


Rui Mendes era humano, da vila de Luso, concelho da Mealhada (vivo relativamente perto de Lisboa e tive de ir ao Google ver onde fica esta merda) e que um dia resolveu ir ver uma final da Taça de Portugal a Lisboa e não voltou porque um benfiquista resolveu que era boa ideia levar uma pistola de verylights e dispará-la contra Sportinguistas. Mas pior do que ter sido um benfiquista a matar um Sportinguista, foi mesmo a forma como o Benfica (não) reagiu nos anos seguintes a esta tragédia. Era puto mas não recordo de ter havido pudor na forma como comemoraram a vitória no final do jogo nem de qualquer posição oficial por parte da direcção a condenar o acto (mas é possível que tenha havido e eu não me lembre/saiba). A equipa do Sporting sempre que vai jogar ao Jamor deposita uma coroa de flores junto à bancada onde morreu Rui Mendes. Não me recordo de qualquer acto ou gesto por parte da equipa do Benfica quando joga no Jamor. O benfiquista que matou Rui Mendes, Hugo Inácio, além de ser considerado um herói junto de alguns “brothers in arms”, nunca teve uma palavra pública de desculpas à família, ao Sporting, a ninguém. A segunda vez que ouvimos falar de Hugo Inácio, além do dia do verylight, foi quando a polícia o apanhou, depois de ter fugido da prisão onde cumpria pena, a mandar cadeiras para cima de agentes da autoridade, em pleno estádio… da Luz. Provavelmente, ainda hoje continua a ver os jogos do Benfica na Luz sem qualquer problema.



Parece que isto não aconteceu. São efeitos especiais feitos na Sporting TV.




Tão grave ou pior que estes factos, só mesmo os petardos e tochas arremessados para cima de adeptos do Sporting mas como é normal, tais eventos foram esquecidos e metidos para debaixo do tapete. Luís Filipe Vieira, num discurso (nada populista e nada hipócrita) numa Casa do Benfica à frente de câmaras de televisão, onde, no meio de inúmeras críticas e menções a Bruno de Carvalho, disse que “a violência não se resolve no Facebook” (oh, a ironia!), não teve uma única palavra a condenar ou censurar os tais arremessos de tochas e petardos. Nem uma. E para adicionar insulto à injúria, parece que tivemos ontem o inenarrável Rui Gomes da Silva a tentar desculpar os meninos sem nome, culpabilizando os adeptos do Sporting por terem anteriormente atirado objectos para cima dos meninos!


Rui Gomes da Silva, membro da direcção de Luís Filipe Vieira, putativo candidato a presidente do Benfica (e o mais forte deles todos, até agora) e o comentador que, semana após semana, acusa BdC de ser populista e demagógico. Rui Gomes da Silva, o mesmo que na sua página oficial (!) de Facebook, elogia constantemente os meninos das claques (não-oficiais) do Benfica e que no programa Dia Seguinte coloca à frente da sua autoridade moral os seus próprios interesses benfiquistas e que nunca colidirão com os meninos das claques. Mesmo que isso implique defender quem celebrou a morte de um adepto rival.


Corte de relações? Peaners!

14 de fevereiro de 2015

Coisas que vão sempre acontecer nos jogos do Sporting

Coisas que vão sempre acontecer nos jogos do Sporting:



- O árbitro não marcar um livre indireto/direto/penalty/wtv contra o adversário.

- O Cédric fazer faltas estúpidas.

- O Cédric fazer faltas estúpidas e reclamar com o árbitro.

- O Patrício não sair dos postes nas bolas aéreas/longas.

- O Patrício sair dos postes nas bolas aéreas/longas e ser golo do adversário.

- Entrarmos os jogos a dormir.

- Não pressionar logo o adversário assim que se perde a bola.

- O Nani tentar fazer uma cueca ao adversário.

- O Nani tentar fazer uma cueca ao adversário e falhar.

- O Nani tentar fazer outra vez uma cueca ao adversário e falhar.

- O Carrillo rematar quando devia passar a bola.

- O Carrillo fintar quando devia passar a bola.

- O Carrillo passar a bola quando devia fintar/rematar a bola.

- O Adrien começar o jogo.

- O Adrien terminar o jogo.

- O Adrien acabar o jogo sem ter marcado um golo.

- O Adrien acabar o jogo e não sabemos se dizer se jogou bem ou mal.

- O Jefferson fazer 37 centros para a área e não aparecer ninguém ao primeiro poste.

- O Montero falhar um golo quase certo.

- O Tanaka passar a bola quando devia rematar.

- O Gauld ficar fora dos convocados.

- O Wallyson ficar fora dos convocados.

- O Capel entrar e sofrer falta do adversário.

- Nenhum jogador acabar o jogo com sangue na cabeça, nariz ou na camisola. (Tínhamos o Maurício mas ele já saiu)

- O Marco Silva vir dizer no final do jogo que "não entrámos bem".



Já se percebe melhor porquê tantos broches d'A Bola do José Manuel Delgado ao Benfica de Luís Filipe Vieira...


*Paulo Teixeira é empresário de jogadores, nomeadamente do jogador do Porto, Rolando, e alguém que não tem medo de meter a boca no trombone.

13 de fevereiro de 2015

ignorar < ripostar

Há um ano, Luís Filipe Vieira ignorava Bruno de Carvalho. Hoje, fez-lhe um ataque (carregado de hipocrisia e demagogia) que, finalmente, o legitima como verdadeiro rival. Muito, muito bom!

12 de fevereiro de 2015

Pós-derby (dentro de campo)

Ontem pus-me ver os últimos minutos do Chelsea – Everton, porque sabia que estava 0-0 e haveria de ser um final de jogo electrizante, como acabou por ser. Um jogador do Everton leva o segundo amarelo aos 87m e no livre subsequente, o Chelsea marca golo. Aos 88m. Comemorações dos jogadores, loucura nas bancadas e a realização mostra-nos o banco do Chelsea: Mourinho comemora o golo durante 3 segundos e, de imediato, aponta para o local onde estavam os suplentes a aquecer e chama um jogador para (não permitir) jogar os últimos 5/6 minutos de jogos. O jogador chama-se Cahill, é defesa central, e entrou para substituir o marcador do golo, Willian, juntando-se aos outros 2 defesas centrais para combater o previsível chuveirinho do Everton. O Chelsea ganhou o jogo 1-0.




Sobre o derby, que dizer? Lembro-me que, instantes antes do golo de Jefferson, estavam preparados para entrar o Capel e o Tanaka e julguei que Marco Silva, depois do golo, iria, obviamente, mudar de ideias e fazer entrar alguém para ajudar a defender o resultado (Rosell ou Sarr). Mas não. Primeiro entrou o Tanaka e depois o Capel. Metade da equipa julgou que era para atacar o 2-0 e a outra metade ficou a defender o 1-0. Resultado? 1-1. A seguir aos “olés”, essa decisão de Marco Silva foi a coisa que me mais chateou. O empate não foi azar, foi aselhice, o que é diferente. Enough said.

De realçar também o Benfica mais "benfiquinha" em Alvalade dos últimos dez anos. Isto de jogar contra equipas grandes e sem colinho é mais difícil... como se pode provar pela brilhante carreira deles na Liga dos Campeões nos últimos cinco anos. Sempre a levar na pá.


Temos, finalmente, uma dupla de centrais de equipa “grande”, isto é, ambos altos, ágeis e suficientemente rápidos para permitir que possamos jogar no meio-campo adversário sem termos de nos preocupar muito com contra-ataques rápidos e bolas lançadas nas costas da defesa. Qualquer equipa de “top” e ganhadora tem de ter, pelo menos, um defesa central alto, ágil e rápido. Se tiver dois então, perfeito. Mas tem de os ter durante 5, 6 anos. Só assim dá resultados.

 Chiellini e Bonucci, “zaga” da Juventus (prestes a ser) tetra-campeã em Itália, Puyol e Piquet, eternos campeões no Barcelona, Pepe e Ramos, em pico de forma, foram campeões no Real, Miranda e Godín no campeão espanhol, o intratável Atlético de Madrid, Thiago Silva (no Milan que ainda ganhava algo e agora no campeão PSG), Kompany no Man. City, Hummels no Dortmund ou mesmo o Luisão do Benfica. Veja-se, por exemplo, a decadência do Man Utd pós Ferdinand-Vidic.

Tobias e/ou Oliveira têm de ficar no Sporting, pelo menos, mais 3 épocas. Acreditava e ainda continuo a acreditar que Ilori tem tudo p’ra ser um central de “top” mas começo a perceber que lhe falta algo a nível mental, competitivo. Dier, ainda tenho dúvidas se para a próxima época ele irá contar ou não como “home grown player” na Liga Inglesa… Se contar, ficará explicado, definitivamente, a sua vontade em sair do Sporting tão bruscamente. De qualquer forma, entre Tobias e Dier, prefiro Tobias – é mais rápido e mais agressivo, mas Dier passa melhor a bola. Maurício nunca seria um defesa central de “top”.

Portanto, a decisão mais importante relacionada com o plantel do Sporting a ser tomada durante os próximos anos terá de ser, sempre, manter e não vender Tobias e Oliveira. Um destes 2 terá de ser o “nosso” Puyol. Não sou arquitecto nem treinador mas sei que é por baixo que se constrói uma casa ou uma equipa.

Depois, vamos perder Nani e, de certeza, um destes dois: William ou João Mário. Basta ver a primeira-fila durante a apresentação do livro do Jorge Mendes para perceber que eles (Adrien também mas menos) serão os “próximos na lista”. Com o dinheiro resultante da venda, acredito que encontraremos um substituto à altura.

Quantos golos tem o Adrien marcados esta época? Dois? Três? E mesmo assistências? Um punhado delas, talvez? É muito, muito pouco para um médio que joga naquela posição. A equipa do Sporting está a subir, ano após ano, de rendimento e estatuto e aquilo que Adrien oferece começa a ser além do exigível… Gosto imenso do Adrien, do facto de ser da formação e do Sporting mas… Onde está o Wally(son)?

Também deve ter sido prometido ao Slimani que poderia sair no final da próxima época mas começo a duvidar que apareça pretendentes oferecendo um valor mínimo aceitável pelo Sporting.

Resumindo, se “apenas” perdermos William (mas contratarmos um substituto à altura) e Nani e mantivermos o resto do plantel e treinador, tendo em conta os trintões do Benfica e incorporação de (muita) gente nova, presumível saída de JJ, a saída anunciada de Jackson Martínez e Brahimi (e Danilo?) do Porto e dos regressos de alguns emprestados aos clubes de origem, creio que sim, será na 3ª época que seremos, realisticamente, candidatos ao título.

Apesar das palavras de incentivo e dos estúpidos pontos perdidos em casa, nunca acreditei verdadeiramente que seríamos campeões esta época. Mesmo que não tivéssemos empatado esses jogos, haveria algo mais a empatar-nos. Mas não deixa de ser uma pena que não tenhamos aproveitado melhor o impacto de Nani esta época… seria épico se ele saísse daqui campeão.

(a ver se também escrevo algo sobre o derby fora do campo)

10 de fevereiro de 2015

Lido por aí

"3 notas a ter em causa:

1ª- A quando do incêndio do estádio da luz, LFV ameaçou cortar relações com o Sporting caso este não tomasse uma posição sobre o sucedido: http://www.dn.pt/desporto/benfica/interior.aspx?content_id=2153309

2ª A nossa direção, liderada pelo Godinho Lopes condenou o sucedido na altura que o caso aconteceu:
http://www.record.xl.pt/Futebol/Nacional/1a_liga/Sporting/interior.aspx?content_id=729061

3ª Os adeptos envolvidos no incidente foram condenados pelo tribunal, assim como o Sporting a pagar multas ao benfica
http://relvado.sapo.pt/1-liga/adeptos-detidos-no-derbi-condenados-penas-prisao-303961

Nós somos sempre maiores que todos seja em atitudes ou em grandeza de amor/clubismo. Somos mesmo um clube diferente."


lido aqui na página "SPORTING FANS"

#LigaMickeyMouse




Sporting paga multa por "arremesso de objectos". Benfica não



Penalizações elevadas aos dois rivais de Lisboa, na sequência de mais um "derby" marcado por polémica. Leões pagam quase o dobro das multas que as águias. 10-02-2015 20:42
O Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) divulgou, esta terça-feira, o mapa de castigos relativo à 20ª jornada da Primeira Liga, com destaque para as multas aplicadas a Sporting e Benfica, na sequência do polémico "derby" de Lisboa (1-1).

Ao todo, os clubes terão de saldar mais de 16 mil euros em penalizações, devido, sobretudo, aos incidentes que envolveram adeptos, mas o Sporting acaba por ter de pagar quase o dobro da quantia imposta ao Benfica.

No que diz respeito ao Sporting, o CD da FPF decidiu punir os leões com o pagamento de uma multa total de 10.520 euros, devido a "comportamento incorrecto do público" e "arremesso perigoso de objectos".

Os responsáveis verde e brancos acusaram os adeptos encarnados de terem atirado tochas e um petardo para uma zona de apoiantes sportinguistas, mas o CD não sanciona o campeão nacional com o tal artigo que diz respeito ao "arremesso perigoso de objectos".

Ao invés, o Benfica paga 5.738 euros por "comportamento incorrecto do público" e 306 euros por "atraso no início ou reinício do jogo". As águias poderão ainda ser obrigadas a pagar uma indemnização aos leões, em forma de reparação por alegados estragos feitos pelos seus adeptos no Estádio de Alvalade.