30 de março de 2014

Bailinho

A gripe e a febre não me largam, por isso vou ser rápido.

Ganhámos bem ontem mas jogámos mal. No dia em que o Sporting for tri-campeão nacional, vencedor de duas Ligas dos Campeões em três anos e mais umas quantas Taças nacionais e isso, aí sim, ficarei aborrecido com estas vitórias em que não jogamos bem. Até lá, por mim podemos ganhar sempre assim que não me importo.

Pronto, não me lembro de mais nada do jogo. Só me lembro desta finta do Mané.



É mais fácil fazer gifs do que escrever posts



O Porto perdeu na Madeira e no final tivemos um déjà vu do Porto dos anos 80, só faltou o Capela andar a correr à frente do Quaresma. A Liga dos Campeões está muito mais perto. Parabéns ao Benfica pelo título.



Bailinho (cigano) da Madeira por comquemsporting10 ideia original de Rivais à Mesa 

Ah, Leão!


29 de março de 2014

Sanitas

Apanhar gripe em Março é como um soldado americano morrer em Abril de 1945 durante a Batalha de Berlim, ou seja, é um azar do caralho.

Explicada a razão da minha ausência (não que sentissem a minha falta, eu sei, mas ‘tá explicado na mesma), vamos lá então a isto.

Os alemães têm umas sanitas engraçadas. Na Alemanha, ao contrário da vasta maioria dos outros países, quando largamos o “objecto”, este fica numa pequena “varanda”, por cima do buraco com a água, e só de lá sai quando se puxa o autoclismo. Porquê? Porque os alemães não têm pudor em ver a merda que fazem (agora a sério, dizem que é para irem controlando a sua saúde). É por isso que o presidente do Bayern de Munique, Uli Hoeness, foi condenado (e vai mesmo cumprir) a três anos e meio de prisão, por fuga ao fisco. Imaginem se tivesse sido condenado por algo mais grave, como corrupção ou uma cena assim.



Na Alemanha, não dá para esconder a merda que se faz.


Já por cá, quando vamos à casa de banho, o “objecto” cai logo no buraco, de modo a que nunca mais o vejamos. Gostamos de enfiar tudo para debaixo do tapete. Prescrições, cafezinhos, suspensões, fruta, anulações, escutas, vai tudo autoclismo abaixo. Excepto se a merda for do Sporting. Nessa altura, é ver benfiquistas, portistas, comentadores, jornalistas, tudo, em fila indiana, à espera de poder entrar na casa de banho de Bruno de Carvalho e poder avaliar, in loco, a “merda” que o presidente fez. Isto não é uma parafilia qualquer, nope, é mesmo só hipocrisia.


Há muitas formas de se provar o real dano que esta época do Sporting está a provocar no FC Porto. A última e mais flagrante foram as declarações de Pinto da Costa, ontem, ao jornal O JOGO. Se em Setembro passado, PdC respondia com um eloquente "Bruno de Carvalho? Não conheço", já em Março respondeu com um ""Bruno de Carvalho? Humoristas só Herman José". Quer dizer que já o conhece. Outra forma seria, por exemplo, contabilizar o número de vezes que os directores e cartoonistas do jornal  O JOGO dedicam os seus espaços ao Sporting e/ou ao Bruno de Carvalho. Eloquente.

Com apenas seis jornadas (ainda) por disputar e com tantos milhões para conquistar, é de temer o pior. 

Espero que o aniversário da direção do Sporting não faça esquecer isso.

Sir William > D. Afonso Henriques


Mais um


25 de março de 2014

Entrevista completa do Vicente Moura ao DN







DN: Foi eleito há um ano como vice- presidente para as modalidades. O Sporting volta a apostar no ecletismo e tem 34 modalidades amadoras. Vamos começar pelo ciclismo: quando é que regressa a Alvalade?

- Se não for nesta época poderá será na próxima, e sem custos para o Sporting. Não posso adiantar muito, mas queremos o Sporting na rua. Em jovem via Voltas a Portugal em bicicleta com as camisolas do Sporting. O ciclismo pode ser a grande atração de massas que o clube precisa.

DN: O ciclismo como modalidade autónoma?

- Não sou favorável a modalidades autónomas, mas o ciclismo é uma hipótese pensada para que possamos competir na Volta a Portugal. Não temos dinheiro, mas temos uma parceria benéfica, temos um projeto avançado que está garantido, só falta limar alguns pormenores.

DN: Que objetivos assumiu para as modalidades neste primeiro ano?

Manter o nível competitivo, se possível subir. O Sporting tem 34 modalidades, dez delas autónomas. Uma delas é o hóquei em patins. Nas modalidades autónomas, o Sporting não contribui com um cêntimo. No futsal reduzimos despesas e lideramos todos os escalões de competição. No andebol fomos buscar jovens à formação. Estamos numa taça europeia e é a primeira vez que um clube português passa à segunda fase e estamos em vias de chegar à terceira. Até brinco com os jogadores porque me estão a dar cabo do orçamento. No judo temos a mais compacta equipa de Portugal.

DN: E no atletismo?

- Fiz aquilo que disse que tínhamos de fazer; buscar o Carlos Lopes, que está a fazer um belo trabalho. Já há muito tempo que devia estar no Sporting. Fomos buscar um diretor técnico, Bernardo Manuel, que vai ajudar-nos a aproximar a Angola. Estamos a trabalhar para que o Sporting volte a ser uma grande escola de meio-fundo. É nesta área que o atletismo português é conhecido internacionalmente.

DN: Qual era o orçamento para as modalidades quando foi eleito e qual é o atual?

- O que posso dizer é que as modalidades em 2012 custaram seis milhões de euros ao Sporting e agora vão custar quatro.

DN: Explique lá como é que cortou...

- Assim é fácil. Nós fazemos um acompanhamento mensal para não haver surpresas. Eu sei exatamente quanto é o saldo do andebol, do futsal, do judo, etc. Não pode haver surpresas. Se não fizéssemos, o que poderia acontecer era chegar a março e não haver dinheiro. E depois a solução era acabar com as modalidades. E não gastamos nem mais um cêntimo.

DN: Nem mais um cêntimo?

- Isso não é totalmente verdade porque entretanto arranjámos sponsors em algumas modalidades e há entrada de dinheiro.

DN: Quanto absorve futsal, andebol e atletismo?

- Com o judo, 70% dos quatro milhões.

DN: Começa-se a falar com alguma regularidade dos êxitos do Benfica no atletismo. Estamos enganados?

Não. É verdade, mas vai terminar. Já terminou. Há 40 anos que o Sporting não ganhava um corta mato nacional feminino.

DN: O investimento do Sporting é muito diferente do do Benfica no atletismo?

- O Benfica gasta muito mais, investe mais em todas as modalidades.

DN: O Benfica forte é um desafio?

- O Benfica compra o material feito, nós compramos as peças. Temos de produzir atletas desde o início. Portanto, o tempo trabalha a nosso favor. Os grandes atletas que o Benfica tem estão para o desporto como eu estou para o dirigismo em termos de idade – em final de carreira. A Telma [ Monteiro] é uma excelente judoca mas só vai competir até aos Jogos do Rio 2016. O Benfica gasta dinheiro com atletas em final de carreira.

DN: Quanto tempo vai demorar o Sporting a igualar ou a superar o Benfica no atletismo?

- No fim do nosso mandato estaremos na frente. Seguramente. No último mandato, com Godinho Lopes, o que é que acontecia? Quando se chegava ao fim do ano decidia-se manter o orçamento, o mesmo do ano anterior mais a inflação.

DN: O Benfica tem obtido bons resultados nas modalidades...

- O Benfica não vai manter esse projeto muitos anos. Porque esta reestruturação financeira que estamos a fazer, o Benfica vai ter que a fazer mais tarde ou mais cedo. Basta ver o passivo do Benfica, que é mais do dobro que o do Sporting. Admito que têm uma marca que é mais poderosa, mas mesmo assim é insustentável. Portanto, esta tentação de comprar “a pronto” para levar o mundo do Benfica na canoagem ou no triatlo...

DN: Existe algum pacto de não agressão nas modalidades com o Benfica e o FC Porto?

- Não. Existe, sim, um acordo tácito e tem funcionado, principalmente com o Benfica. Se o atleta quer sair, aí não nos opomos. A questão é o aliciamento de atletas. Tive conhecimento no passado de que houve umas incursões do Benfica junto dos nossos judocas.

DN: O Benfica aliciou judocas do Sporting?

- Tive ocasião de protestar por escrito para a federação. É normal no final da época os atletas melhorarem as suas condições. A meio da época não é ético.

DN: O Sporting tem limitações nomeadamente com o pavilhão. Há a possibilidade de ultrapassar isso a médio prazo?

- Temos aqui terrenos perto onde estava previsto um pavilhão. Há um projeto aprovado por todas as forças políticas da Câmara Municipal de Lisboa. Custava 12,5 milhões de euros, mas o Sporting não tem dinheiro para isso. Estamos a pensar num pavilhão, paredes meias com o estádio, que poderá custar 4,5 milhões de euros. A meta do presidente é que as obras se iniciem até ao fim do mandato.




Nasceu em 1937, tem 77 anos Capitão de mar e guerra, na reforma da Marinha
Atleta de competição em natação, polo aquático, ginástica e basquetebol. Foi presidente do Sport Algés e Dafundo, onde iniciou a carreira de dirigente, e depois presidente da Federação de Natação entre 1982 e 1990. Membro do COP desde 1980, foi chefe da missão olímpica para os Jogos de Los Angeles ‘ 84. Presidente do COP entre 1990/ 93 e 1997/ 2013. Após os Jogos de Londres 2012, assumiu a vice- presidência para as modalidades do Sporting na direção liderada por Bruno de Carvalho.

DN: Já conhecia Bruno de Carvalho?

- Conhecia-o da anterior campanha. Eu, nessa altura, integrava a candidatura de Abrantes Mendes. Achei que Bruno de Carvalho era um homem determinado e que poderia ser a solução a curto prazo do Sporting.

DN: Quando falaram, ele convidou-o para as modalidades?

- Disse-lhe que não queria cargos. Mas ele disse-me que contava comigo para vice das modalidades.

DN: Foi um desafio?

- Foi. Sou de outra geração, a dele tem outras valências.

DN: Como avalia a atuação do presidente do Sporting neste primeiro ano?

- Fiquei maravilhado com a posição do meu presidente após a vitória sobre o FC Porto. Assumiu que o golo foi em fora de jogo. Isso é que é fair play.

DN: Sabia que a situação das modalidades era difícil e que para manter o Sporting competitivo teria de fazer cortes?

- Sabia que tinha de tomar decisões difíceis. Por vezes questionava- me: andei a defender atletas no Comité Olímpico, agora corto salários. Mas tem corrido bem. Falei com as pessoas olhos nos olhos .

DN: Que argumentos apresentou?

- Falta de dinheiro. Foi feito um acordo com os bancos e temos de cumprir. O problema era como cortar. Se não houvesse resultados diriam que tanto sacrifício para nada.


(EDIT: Afinal, a entrevista está completa. :P)

Olha, o Real Madrid (o Real Madrid!) também quer sorteio dos árbitros

Florentino pedirá la designación de árbitros por sorteo

El Real Madrid realizará la petición a final de temporada para cambiar la actual norma en la que los árbitros son escogidos por nivel.





A raíz de las polémicas surgidas a lo largo de toda la temporada 2013-14 y las que se arrastran de cursos anteriores, Florentino Pérez tiene pensado formular una petición formal por parte del Real Madrid a la Real Federación Española de Fútbol (RFEF) para que cambie el sistema de designación de árbitros.

En la actualidad, el criterio para designar los colegiados de los partidos está relacionado con una escala de nivel, donde los árbitros tienen categorías. Según la experiencia adquirida y el nivel cosechado cada árbitro está preparado para pitar un partido de una dificultad específica. Lo que pedirá el presidente de la entidad blanca es que esa elección no sea escogida por organismo o persona alguna, sino que un sorteo resuelva los emparejamientos.

Una medida que muchos clubes llevan barajando durante varias temporadas, ante las continuas decisiones controvertidas, la última en el Clásico entre Real Madrid y Barcelona donde ninguno de los equipos salió contento con Undiano Mallenco. Incluso jugadores como Sergio Ramos o Cristiano Ronaldo criticaron el nivel del colegiado. Unas declaraciones que han movido al Comité Técnico de Árbitros a actuar, denunciando a ambos jugadores ante el Comité de Competición.

Como ha explicado José Ramón De la Morena, esta petición de Florentino Pérez apartaría a Sánchez Arminio de su responsabilidad actual, a la hora de escoger a los árbitros de los partidos.



http://www.cadenaser.com/futbol/articulo/florentino-pedira-designacion-arbitros-sorteo/csrcsrpor/20140324csrcsrftb_5/Tes#?id_rss=103

24 de março de 2014

O pateta do Rui Gomes da Silva diz que há mão do Rojo no lance do golo do William Carvalho, o Guilherme Aguiar concorda e o Rui Oliveira e Costa acena com a cabeça. Epah... só me posso rir. Foda-se. lol.




23 de março de 2014

Douglas "O Sporting também forma pessoas"

O "X" marca o sítio

Hoje comemoram-se dois eventos importantes. A vitória de ontem na ilha da Madeira e o primeiro aniversário de Bruno de Carvalho como presidente do Sporting Clube de Portugal, sendo que o primeiro muito dificilmente teria acontecido sem o segundo.



Fiz o vídeo horas depois de BdC ter sido eleito presidente do Sporting Clube de Portugal



Como dizia o cartaz de um Sportinguista madeirense - podia ter escrito "um madeirense Sportinguista" mas não seria a mesma coisa - aquando da chegada da comitiva do Sporting à Madeira, "Bruno de Carvalho, és o nosso Papa Francisco", eu digo "Sporting, és minha fé". E a missa, o jogo de cada fim de semana.

A diferença que faz um golo... A meio da segunda parte, parecia que já estava a ver as manchetes do dia seguinte: "Sporting enterra o título na Madeira" ou "Funeral de Jardim", qualquer coisa do estilo. É que o segundo golo do Marítimo, o do empate, parecia que ia acontecer a qualquer minuto, tivesse sido por uma jogada do Derley, o irmão mais velho do Elias, ou por obra e graça do apito do portista portuense Jorge Sousa.

Mas não aconteceu. Pelo contrário, assistimos ao (re)nascimento do Sporting, quando o Jefferson conseguiu romper pelo campo adentro e enfiar a bola no sítio X de um campo de futebol, a baliza. Talvez tenha sido o golo mais importante da época. O golo conquistado na ilha do (Leonardo) Jardim e que dará acesso aos milhões da Liga dos Campeões. Se eu fosse editor d'A Bola, a primeira página de hoje teria sido a sequela da primeira página da semana passada mas desta vez com o desenho da ilha da Madeira, com um X sobre o Funchal e uma arca aberta repleta de moedas de ouro ao lado.



Eu curti esta primeira página. :P



Terminado o jogo, a notícia do dia é a suposta venda de Sir William Carvalho para o Man Utd, pelos valores da cláusula de rescisão, 45 milhões de euros (apesar de o Sporting apenas possuir 60% do passe). Se tal for verdade, como é que eu posso criticar a direção do Sporting? Seria apenas a maior transferência de sempre do Sporting e a maior de sempre de um jogador português. What? Eu quero criticar mas não tenho cara de pau para tal.

Vi hoje de manhã a equipa B jogar em Chaves. Fez-me lembrar um episódio do Seinfeld, chamado "Bizarro Jerry" (do qual também já me servi para ilustrar um post no Cabelo do Aimar, aqui há uns tempos), "onde surgiam uns personagens semelhantes ao Jerry Seinfeld, George e Kramer, mas que tinham personalidades opostas. O “outro” Jerry era compreensivo e sensível, o “outro” George era simpático e altruísta e o “outro” Kramer era calmo e perspicaz".

A equipa B do Sporting é a versão oposta do Sporting A. Começando no discurso pacato e simples de Jardim e contrastando no discurso desconexado e truculento de Abel, passando pela folha disciplinar de ambas as equipas (não sei de links para mostrar, mas sei que a equipa B do Sporting será uma das que tem mais cartões vermelhos mostrados na Segunda Liga e a equipa A, das que terá menos na Primeira Liga) e terminando naquilo que se vê, ou seja, no futebol jogado, as diferenças são completamente díspares. Se na equipa de Jardim vencemos os jogos pela força do colectivo, na equipa de Abel vencemos pela força das individualidades.

Só uma palavra para o Futsal. Creio que perdemos uma oportunidade de ouro para renovar a equipa. Quando vejo que no jogo contra o Benfica, os jogadores mais utilizados são aqueles que já tinham sido os mais utilizados na época passada (menos o Leitão, dispensado, e o Divanei, lesionado), mais acredito que a renovação urge. Sem medos. Prefiro perder este campeonato do que uma hegemonia.


P.S. Alguém que diga ao Maurício que jogar de saltos altos nos relvados portugueses não dá lá muito resultado.

22 de março de 2014

BASTA, JÁ!

Isto é gozo. Basta! Na entrevista dada hoje ao Record e à pergunta, legítima*, se árbitros estrangeiros puderão vir a apitar jogos do Sporting, o Vítor Pereira, presidente da Comissão de Arbitragem da FPF responde:





É uma resposta manhosa, trocista e que não está ao nível do que se pede do presidente da Comissão da Arbitragem da FPF. "Não, não acontecerá, porque os nossos árbitros têm qualidade suficiente, blá, blá, blá" ou "Não, não acontecerá, porque há recomendações da FIFA/UEFA para que tal não... blá, blá, blá", ok, qualquer resposta politicamente correcta aceitava-se. Agora aquilo?! Epah, admito, dei relativa pouca importância ao famoso "Movimento Basta!" mas esta resposta de nove palavras do chefe dos árbitros bastou para desejar que o Movimento não pare e, ao invés, que cresça mais ainda! Vão gozar com o caralho!




*Legítima, porque foi uma pergunta feita ao mesmo cabrão que, Maio de 2012, respondeu isto a uma  pergunta semelhante:

Vitor Pereira admite árbitros estrangeiros em Portugal

O presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Vitor Pereira, admitiu a possibilidade de árbitros estrangeiros arbitrarem em Portugal, numa entrevista hoje publicada pelo jornal A Bola.

http://www.dn.pt/desporto/interior.aspx?content_id=2526997&page=-1

E foi tanto uma pergunta legítima porque o inverso já aconteceu:

Duarte Gomes apita jogo na Arábia Saudita - JUIZ LISBOETA NA ÚLTIMA RONDA DO CAMPEONATO
http://www.record.xl.pt/Futebol/Arbitragem/interior.aspx?content_id=817498

O português Artur Soares Dias vai arbitrar o encontro da 24.ª jornada da I liga da Arábia Saudita
http://www.ojogo.pt/Internacional/Portugueses/interior.aspx?content_id=3162910

O árbitro João Ferreira, de Setúbal, foi nomeado para dirigir um jogo do campeonato da Arábia Saudita, entre o Al Ittihad e o Al Hilal.
http://www.record.xl.pt/Futebol/Arbitragem/interior.aspx?content_id=430384

(...)uma equipa de quatro árbitros internacionais foi convidada para "apitar um dos jogos mais importantes do campeonato romeno"
http://www.dn.pt/desporto/interior.aspx?content_id=2526997&page=-1

21 de março de 2014

Baldas e baldas

Um Beira-Mar - Sporting, salvo erro, na última ou penúltima época do Paulo Bento como treinador. Jogo complicado, difícil, como são todos do Sporting, e, a poucos minutos do fim do jogo, estávamos a ganhar 2-3. Já não me lembro da jogada nem do golo, lembro-me que foi um golo no último minuto do jogo, empatámos 3-3, e o seu autor foi um defesa-central ou médio-centro que, com esse golo, até fez um hat-trick! Como muitos outros, fez o seu melhor jogo contra o Sporting. Por curiosidade, o treinador do Beira-Mar nessa época chamava-se... Augusto Inácio.

Mas do que me lembro bem foi das palavras do Paulo Bento na flash-interview. Poucos minutos depois de termos empatado o jogo, Paulo Bento estava visivelmente irritado e a única coisa que sobressaiu foi algo do género "A ganhar fora, nos últimos minutos de jogo, a bola não pode estar no nosso meio-campo".

A ideia é simples, com a bola no lado de lá do meio-campo, com uma equipa subida e a pressionar, nunca sofreríamos o golo do empate. Isto é, não podemos dar baldas ao adversário para que depois nos possam punir.

(Agora que estava a escrever isto, o apelo foi irresistível e fui rever o golo do 3-3. Enganei-me, não foi nas últimas épocas de Paulo Bento, foi em 2006/07, mas foi mesmo no último minuto de jogo, um golo de merda, após um canto cedido por nós. Também não me enganei no marcador. Chamava-se Buba, defesa central ou médio defensivo e que fez o melhor jogo da carreira contra nós.)



Querias fazer o melhor jogo da tua vida? Bastava teres jogado contra o Sporting.


Porque é que me lembrei deste jogo? Porque quando soube que o árbitro do jogo de amanhã será o portista portuense Jorge Sousa, lembrei-me deste "mini-relatório" que o Marinho Neves escreveu sobre o árbitro Benquerença, que tinha sido nomeado para apitar o Sporting - Porto, e que, como sabemos, alegou "baixa médica" e foi substituído pelo Proença. O "relatório" dizia o seguinte:

"Aqui vai um relatório: Olegário Benquerença é capaz de tudo para conseguir atingir os seus objectivos, mas mesmo tudo. Basta analisar a sua carreira e tomar conhecimento de como geriu todas as suas promoções. Para além disto, está em final de carreira e está preso por fios. Sabendo que vai enfrentar uma poderosa máquina de poder, em caso de dúvida beneficiará sempre o mais poderoso. Quanto ao Sporting, tem de cair na real e deixar o medo nos balneários acreditando sempre que é possível contrariar forças ocultas. Ser cuidadoso nas zonas perigosas, não dar baldas para que o o árbitro invente, obrigando-o a entrar no escândalo se houver intenção de benefício. Pensar sobretudo e somente no jogo. O árbitro sabe que vai estar sobre atenção redobrada e depois do escândalo no jogo do Sporting da semana passada, a pressão é ainda maior."


Amanhã não podemos dar baldas. Qualquer toquezinho do Rojo ao avançado deles será falta. A bola não pode passar do nosso meio-campo.

20 de março de 2014

.!.

Caro(a) Com quem é que joga o Sporting?:

Desactivámos o seguinte material em resultado de uma notificação de terceiros feita por SPORT TV Portugal, SA, a reivindicar que o material viola:

Sir William vs FC Porto (best of)
http://www.youtube.com/watch?v=RwdGuQab8ec


Atenção: A violação repetida de direitos de autor resultará na suspensão da sua conta e de todos os vídeos carregados na mesma. Para evitar que isso aconteça, elimine qualquer vídeo do qual não seja proprietário dos direitos e não carregue vídeos adicionais que infrinjam os direitos de autor de terceiros. Para obter mais informações acerca da política de direitos de autor do YouTube, leia o guia Conselhos sobre direitos de autor.
Se uma das suas publicações tiver sido identificada incorretamente como estando em infração, poderá enviar uma contranotificação. Pode obter informações sobre este processo no nosso Centro de Ajuda.

Tenha em atenção que, nos termos da Secção 512(f), qualquer pessoa que, de forma consciente e intencional, declare falsamente que determinado material foi desativado por engano ou identificação incorreta poderá ser condenada ao pagamento de indemnizações.

Atentamente,
— A Equipa do YouTube

18 de março de 2014

Sir William vs FC Porto (best of)

Macron

Com a devida vénia ao site “VERDE BRANCO”, O site a consultar quando o tema é a camisola do Sporting Clube de Portugal, retirei de lá as últimas infos relacionadas com o próximo fornecedor de material desportivo para o clube, a italiana Macron.

A discussão já começou ao tempo: “Ah, mas a Macron não é uma marca ‘top’”, “Ah, mas a Macron paga 2 milhões por ano – a Puma pagava 600 mil”, “Ah, mas preferia a Nike ou a Adidas”. Há-de acabar o contrato com a Macron – sim, porque vai ser ela a fornecer os próximos equipamentos do Sporting – e ainda se estará a discutir o assunto. É normal.

Em relação a isto, o que posso dizer é que quando foi anunciado, há anos, que a Puma iria ser nova fornecedora de equipamentos do Sporting, fiquei extasiado. Puma, a marca da moda de então, irreverente e com o “trunfo” de ser quem equipava a seleção campeã do mundo, a Itália. Estamos em 2014 e que digo acerca dos equipamentos que a Puma fez para o Sporting desde 2006? Bela merda. Até a Reebok fez equipamentos mais bonitos.

O nome “Macron” não me diz nada. Mas já os equipamentos dizem qualquer coisa. Gosto do equipamento do Nápoles, da cor e parece-me que o material é mais robusto, menos “plástico”, mais “verdadeiro”. E depois há uma coisa essencial… A Macron, ao contrário de Nike ou Adidas, ouve realmente os seus clientes e deixa-os terem a liberdade para desenharem a camisola ao seu gosto, explica Roberto Casolari, director de Marketing da Macron, nesta entrevista, ao site italiano Il Democratico:

 “Se os grandes nomes como a Nike ou Adidas podem chegar ao pé das equipas e dizerem-lhes: esta é a vossa camisola, já a Macron raciocina ao contrário, a nossa oferta sob o aspecto do design é um fundo em branco”. A fábrica dá a possibilidade ao clube de criar a própria camisola, metendo ao dispor um grupo de designers, que trabalham sob as ordens do clube, desde que tal não vá contra, obviamente, ao regulamento federal”

Depois vem a parte mais interessante, a criatividade da Macron:


“Como se trabalha na Macron, descobrimo-lo quando entramos naquela que se intitula como “O quarto dos sonhos”: Muros luminosos, fotografias gigantes de campeões e o melhor da produção Macron em exposição. Representados estão os 40 clubes mais importantes e algumas das criações mais originais como a segunda camisola do Millwall, Série B inglesa, na qual estão escritos de todos os jogadores da história do clube. Ou então a célebre camisola alternativa camuflada do Nápoles, um desejo expresso do presidente [do Nápoles] Aurelio De Laurentis, que Casolari explica assim: “Está a ser um grande sucesso, aplicámos uma ideia de moda aos equipamentos desportivos.” A possibilidade de personalizar a camisola é verdadeiramente infinita: basta ver a coleção de camisolas Marvel, utilizadas pelo líbero da [equipa de voleibol] Modena Volley, que mostra os desenhos do Spider-Man, Dragon Ball e One Piece”



A camisola do Millwall, p'ra mim, está genial. Serviu p'ra comemorar os 125 anos do clube.

Os camuflados do Nápoles. O De Laurentis é um maluco do crl.



Duplo lol.


Eu gosto bastante deste aspecto da criatividade. Só nos resta confiar no bom gosto das pessoas da direção que vão trabalhar com a Macron. :P

Para terminar, a confirmação de que a Macron equipará o Sporting:


 “As exportações representam cerca de 70% da facturação, sendo os mercados mais explorados os da Grã-Bretanha, França, Espanha e Portugal. Note-se os países que têm algumas das suas equipas mais importantes representadas pela Macron, e Casolari revela que entre os clubes que entrarão na equipa, no próximo ano, estará um grande clube português, um nome por agora secreto, e o Crystal Palace, clube que milita na Premier League inglesa. “ 

WILLIAM, WILLIAM!

Não sei o que me diverte mais, se ouvir os protestos benfiquistas em relação ao golo legal-mas-que-é-antecedido-por-um-eventual-fora-de-jogo-milimétrico-e-que-devido-ao-risco-virtual-da-Sporttv-ter-sido-colocado-uns-frames-após-o-passe-do-William-faz-parecer-que-é-um-fora-de-jogo-de-meio-metro ou os lamentos dos portistas em relação ao presidente do Sporting e ao já famoso movimento Sportinguista “Basta”.

Quanto ao já célebre movimento, comparo-o com o avanço dos peões num jogo de xadrez. Não percebo nada de xadrez mas sei que para o jogar bem, temos de pensar nas futuras jogadas com antecipação. Espero que quem o esteja a jogar, tenho o Rei – e a rainha – bem protegidos e com o olho bem atento ao Rei adversário.

Em relação ao jogo, eu só tive pena que o golo do Slimani tenha sido com a cabeça e não com a mão. Sentir algum tipo de sentimento de “culpa” pelo facto de o golo do Slimani poder ter sido precedido de fora-de-jogo seria como sentir-me culpado se, por ventura, o BCP se tivesse enganado e colocado 1500 euros na minha conta bancária. Não me chamo Cardinal.

Jogámos bem, temos uma equipa bem montada pelo Jardim e o objectivo principal, o acesso directo à Liga dos Campeões, parece cada mais perto. Quem diria isto há um ano? Além do Godinho Lopes, mais ninguém.


William, Sir William. Não há mais palavras para descrever o mais imponente jogador que vi jogar de leão ao peito desde o grand danois Peter Schmeichel.







O título ‘tá entregue e, com mais ou menos erros de arbitragem, estaria sempre entregue ao Benfica e o segundo lugar ainda não está garantido porque vamos duas vezes à Madeira e ainda a Paços de Ferreira. Vai ser muito complicado. Gostava de ver o Shikabala entrar nas convocatórias e sentar-se no banco de suplentes como um joker, pronto a ser utilizado, caso seja necessário “desbloquear” um jogo complicado.



(O Jefferson custou 500 mil euros. O Alex Sandro custo 10 milhões de euros. lulz)


15 de março de 2014

Prestem atenção, só vou dizer isto uma vez.


Gostava que tivesse havido um episódio sobre um jogo de futebol entre a equipa do René contra os alemães.


Quando era puto via o 'Allo 'Allo!, a farsa britânica passada durante a Segunda Guerra Mundial, e achava muita piada aquilo (até porque não havia mais nada na televisão) e lembro-me que a maior parte dos episódios começavam e terminavam quase sempre da mesma maneira: com os franceses (e alguns ingleses) a tentar enganar os alemães (às vezes, o contrário) e no final os franceses a fugir dos alemães.

Mas quando um gajo vê o 'Allo 'Allo! já na idade adulta, subitamente, apercebemos-nos de um porradão de coisas que nunca sequer imaginávamos quando éramos putos. As piadas sobre "salsichas" e "meloas", o aipo molhado, a paneleirice do Grubber, a relação sado-maso entre o Herr Flick da Gestapo, e a Helga, a lesbianice sugerida no seio (ahah) da Resistência Francesa liderada por Michelle, enfim, todo um "sexual innuendo" que transborda écran fora e que a inocência de criança não deixava perceber.

Para mim, o 'Allo 'Allo! era algo escondido no cantinho das  memórias e que já fazia parte da "mobília" como fazem parte, por exemplo, os Simpsons ou Family Guy. Contudo, nesta semana vi o último episódio do 'Allo 'Allo! pela primeira vez. Saquei Comprei no ThePirateBay a última temporada e vi-a nesta semana enquanto esperava que o sono aparecesse.  E, após muitas voltas e reviravoltas em torno de salsichas, mamas, queijo e dinamite, dei por mim a pensar que tinha acontecido aquilo que, enquanto era puto não julgava possível: o 'Allo 'Allo! tinha chegado ao fim. O último episódio chegou, concretizando tudo aquilo que se almejava alcançar em cada episódio: René fugiu (e casou) com a Yvette, Gruber continuou dentro do "armário", os pilotos ingleses voltaram para casa e os franceses livraram-se dos alemães. E qual foi o evento que tornou tudo isto possível e que, ao fim ao cabo, ditou o "fim" da série?

A invasão aliada do dia D, ora pois.




O David Croft, um dos autores de 'Allo 'Allo! viveu os seus últimos anos no Algarve. Aposto que achou piada a isto.



O futebol português é uma farsa* com personagens e situações, tão ou mais, rocambolescas como os de 'Allo 'Allo!  A diferença entre ambos é que, se o drama de 'Allo 'Allo! era baseada na realidade e a comédia na farsa, já no futebol português acontece o inverso: o drama é baseado na farsa e a comédia na realidade.

Quando somos putos, não conhecemos nem sequer imaginamos que muito do "guião" do futebol português passa por "personagens" tão estranhos a um campo de futebol como são o Conselho de Arbitragem, SADs, "fruta", LFPF, Olivedesportos, "cafézinho", BES ou Doyen Group.

Todas as épocas, temos as mesmas personagens a protagonizar os mesmos papéis. Os portistas, os tripeiros, os benfiquistas, os Sportinguistas, os árbitros, os homens do dinheiro e no final, a cena é quase sempre a mesma: os árbitros a fugirem de alguém que não os Sportinguistas.
                                   
Mas tudo há-de ter um fim, até mesmo o futebol português, tal como teve a sitcom britânica. Como dizem os alemães: "Alles hat ein Ende, nur die Wurst hat zwei", que é como quem diz: "Tudo tem um princípio e fim, excepto a salsicha que tem os dois".

O "Dia D" do futebol português, na minha opinião (e quando digo "na minha opinião", não digo que seja aquilo que preferiria que acontecesse mas aquilo que eu acho que tem de acontecer para que o paradigma do futebol português se altere) aconteceria no dia em que Sporting e Benfica criassem, directa ou indirectamente, um canal desportivo "pago", com um nome suficientemente abrangente a ambos os clubes e restantes adeptos (Golo TV?) e que contivesse os direitos de transmissão televisiva de ambos os clubes. Uma direção de informação e de conteúdos bicéfala, com metade de profissionais ligados ao Sporting e a outra metade ao Benfica. Tudo escrupulosamente dividido ao meio. Ambos os clubes manteriam os respectivos canais de clube, em sinal aberto, dedicados às transmissões dos jogos das camadas jovens, modalidades, etc, mas acrescentariam um canal premium onde seriam transmitidos os seus jogos em casa, outras ligas (Premier League, etc) e outros desportos (futsal). Em suma, uma Sporttv alternativa.


Só nesse dia assistiríamos, definitivamente, ao último episódio da série sobre o futebol português chamada "Alô, alô? A fruta é p'ra hoje?"




*A farsa é uma comédia que tem o objectivo de entreter a audiência através de situações demasiadamente exageradas, extravagantes, e portanto, improváveis. Nas farsas, é normal ser difícil acompanhar o enredo (devido aos inúmeros "twists" e eventos que acontecem ao acaso), mas os espectadores são encorajados a não tentar seguir o enredo/trama para desse modo evitarem ficarem distraídos e confundidos. A farsa também é caracterizada pelo humor físico, pelo uso deliberado do absurdo ou surreal.

http://en.wikipedia.org/wiki/Farce

12 de março de 2014

Sporting Clube de Toronto @ Portugal no Coração - RTP (2014)

)

Isto merece ser lido

Tenho reparado, ultimamente, nos posts deveras incisivos do utilizador Alex Nogueira, no forumscp. Isto merece ser lido por todos:

Resumidamente, o que Bruno de carvalho disse foi:

O Sporting só se propõe objectivos jogo a jogo, porque o futebol nacional é SUJO e MANIPULADO;
Por um PODER instalado, DIVIDIDO entre Benfica e o Porto;
Esse poder está PRESENTE em TODOS OS JOGOS (mesmo nos que essas equipas não intervêm);
O campeonato esteve, está e estará ENTREGUE, e o Sporting disse-o há meses;
O 2º lugar, com acesso directo à Champions (e os milhões €€€ associados) está também a ser entregue;
Os nossos prejuízos c/ o Rio Ave, Nacional, Académica, Setúbal envolvem clubes do O18 (lacaios da Olivedesportos/Porto);
Os arranjos da vergonhosa reunião de 7/3, não visam directamente os centros de decisão.

Pelo meio relata AMEAÇAS e VANDALIZAÇÕES e deixa claro que vêm dos clubes cujo nome não menciona, consequência de um futebol ("desporto") sujo ("sem regras e sem transparência), e faz apelo a TODOS os sportinguistas:

Que soltem a indignação - formas pacíficas (não pode dizer outra coisa!), mas efectivas!
Que digam BASTA!
Que se MOBILIZEM - dentro e... (novidade!) FORA DO CAMPO!


Apesar das interpretações mais disconexas que apareceram, a mensagem do presidente é clara!

O que não disse (não podia), mas todos sabemos:
A Comiss. Arbitragem já é controlada por Benfica e Porto, e os Conselhos de Disciplina e de Justiça são controlados pelo Porto
A Olivedesportos, é o grande vírus do nosso futebol e está, neste momento, a deitar mão de todos os expedientes para recuperar a posição dominante que minou tudo durante os últimos 20 anos;
O Porto é o cancro que beneficia directamente desse vírus e com ele está concertado;
Todas as movimentações na Liga visam deixá-la capturada financeiramente, de novo, pela Olivedesportos e deixá-la capturada organicamente pelo Porto que, recuperando o seu domínio irá a mandar no tipo de alterações que lhe interessa introduzir, dominar a presidência da Liga e, por essa via, a ficar perto de recuperar o controle total da FPF, com a mais que previsível saída de Fernando Gomes para a UEFA.
Os clubes papalvos-marionetas estão totalmente reféns e manietados, por necessidade de dinheiro imediato, e preparam-se para  sustentar a queda do futebol nacional numas novas trevas de onde estava finalmente a conseguir sair.
O caso é de polícia, envolve claros abusos de posição dominante, corrupção, chantagem, etc, mas isto o nosso presidente não pode dizer isso em público.


Pareceu uma intervenção ...estranha, e não tão potente como habitual, mas... LEIAM NAS ENTRELINHAS!!!


O futebol nacional SUJO e MANIPULADO, e tem-nos como alvo preferencial.
Nada disto é novo, mas só tem duas vias:
a resignação frouxa e apática;
ou uma reacção concertada, brutal e persistente.

A letargia da resignação é manipulada pelos podres das instituíções decisórias do futebol e alimentada pelo interesse alheio instalado nos média. É assim que nos querem, para continuarem a ser quem são e a fazer o que quiserem em total impunidade, e ainda gozam por cima: calimeros!

É isso o que nós queremos? É isso que nós somos?

Para bom entendedor, o nosso presidente fez foi...
UM APELO CLARO PARA A "GUERRA"!

A questão é o que CADA UM dos sportinguistas vai fazer acerca disso, e TODOS podem fazer a sua parte!

Somos 3 milhões - temos uma força BRUTAL!!!

 - Os sportinguistas que são empresários que deixem de fingir e joguem a sua influência;
 - Os sportinguistas que são políticos que façam total pressão nas suas áreas de acção;
 - Os sportinguistas que são Santana Lopes de nome, e demais croquettes, deixem de andar a fazer o serviço da Olivedesportos;
 - Os sportinguistas que são agentes do futebol que façam lobi coeso, que se candidatem, que ocupem os lugares de decisão;
 - Os sportinguistas que são juízes, magistrados, polícias, que desencadeiem investigações e acções objectivas para acabar com estes casos de polícia que estão à vista de todos e são uma vergonha para o país;
 - Os Sportinguistas que são donos de jornais, tv's ou grupos de média que exerçam o seu poder descricionário sobre as redacções;
 - Os sportinguistas que são jornalistas que passem a agir ainda mais furiosamente que os "adversários";
 - Os Sportinguistas que são comentadores, deixem de ser frouxos, estejam informados e ataquem sem tréguas, ou saiam e dêem lugar aos que têm competência para o fazer;
 - Os sportinguistas que são cidadãos que exponham e desmontem a vergonha a cada "amigo" que pertence ao lado sujo;
 - Os sportinguistas que são clientes que acabem com as assinaturas da SportTv, que deixem de clicar ou comprar os jornais "alinhados";
 - Os sportinguistas que são consumidores que deixem de comprar produtos publicitados pelos adversários;
 - Os sportinguistas que são vizinhos ou colegas de árbitros ou dirigentes que nos roubam lhes caiam em cima sem descanso e os façam sentir mal diariamente;
 - Os Sportinguistas que são adeptos que encham o estádio e o tornem num inferno representando cada um os outros 59 que não estão lá;
 - Os sportinguistas que são das claques que passem ao próximo nível, pondo tudo a nú, chamando os bois pelos nomes, agressivamente, jogo a jogo, sem parar;
 - Os sportinguistas que são doidos que passem a ser tão ou mais doidos do que os dos clubes manhosos;
 - Os sportinguistas que são stewards que retirem "pacíficamente" as tarjas dos outros, que os façam "pacíficamente" sentir mal, dos corredores dos balneários ao campo, do exterior às bancadas;
 - Os sportinguistas que são mais disponíveis que façam guarda aos nossos dirigentes e jogadores e olhem pelos seus bens
 - Os sportinguistas que são sportinguistas que se unam à volta do clube, cerrem fileiras e avancem de uma vez por todas para cima de tudo e todos.

O começo de uma nova era não é responsabilidade do presidente ou "deles".
É NOSSA. DE TODOS!
E é agora, determinados e à bruta, ou não vale a pena haver Sporting.

Quando os abutres do apito e dos conselhos nos roubam... "errar é humano".
Nós perdemos títulos e milhões e milhões em não idas à champions e em vendas de passes;
Porto e Benfica somam títulos e constroem orçamentos fabulosos;
A Olivedesportos factura à cara podre!


Somos 3 milhões:
SOLTEMOS A NOSSA FÚRIA!

Acabou!
Ninguém brinca mais à nossa custa!
Não basta dizer... BASTA:
Vamos para cima deles!!!



Ler mais: http://www.forumscp.com/index.php?topic=52280.16160#ixzz2vkvCxthu

O que é que estes tipos merecem?



http://videos.sapo.pt/FUZ4L2u3ksUqmRHC7Bdn


Isto não é uma gaffe, uma "gralha" ou um mero engano, não, esta merda é gozo!

11 de março de 2014

Golo do Manel!


Oh Germano, esta é p'ra ti

"O Sporting foi o clube que teve mais jogos apitados por árbitros internacionais: exactamente metade dos 22 disputados na I Liga. No caso do FC Porto foram nove, enquanto o Benfica teve apenas seis árbitros com estatuto internacional em 22 partidas do campeonato."


A discussão sobre a arbitragem voltou a subir de tom após a 22.ª jornada da I Liga. As críticas mais incisivas vieram do Sporting, que empatou 2-2 em Setúbal num jogo no mínimo polémico: Vasco Santos errou em vários lances fulcrais, incluindo a invalidação de um golo legal ao Sporting e a marcação de uma grande penalidade inexistente a favor dos sadinos. “Estamos a bater um recorde mundial de golos mal anulados”, queixou-se o treinador dos “leões”, Leonardo Jardim.

Vasco Santos não teve uma classificação propriamente brilhante na época passada. O árbitro da Associação de Futebol do Porto foi 20.º entre os 25 juízes da primeira categoria. Mesmo assim, na presente temporada, já mereceu a confiança do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol para quatro jogos a envolver um dos três ditos “grandes”: a visita do FC Porto a Arouca e a recepção dos “dragões” ao Estoril, a visita do Benfica ao Olhanense e o famigerado Vitória de Setúbal-Sporting.

Mas o árbitro de Gaia não é caso único. Paulo Baptista, que em 2012-13 foi o segundo pior na classificação (manteve-se na primeira categoria graças ao abandono de João Ferreira, que atingiu o limite de idade), é o recordista de jogos a envolver Benfica, FC Porto ou Sporting. O árbitro de Portalegre ajuizou três encontros dos “encarnados”, outros tantos dos “leões” e dois dos “dragões”: oito do total de dez jogos da I Liga para os quais foi nomeado. Paulo Baptista completará em Dezembro 45 anos, a idade limite para os árbitros exercerem a sua actividade na categoria principal.

Desde que, a 1 de Novembro, a arbitragem portuguesa passou a ter um grupo de nove profissionais, apenas 14 dos 40 jogos disputados pelos três ditos “grandes” na I Liga contaram com juízes deste lote. Se a análise incluir as 22 jornadas já cumpridas, do total de 62 encontros realizados por Benfica, FC Porto e Sporting, 22 tiveram arbitragem de um dos juízes profissionais – os mesmos nove que possuem o estatuto de árbitro internacional.

O Sporting foi o clube que teve mais jogos apitados por árbitros internacionais: exactamente metade dos 22 disputados na I Liga. No caso do FC Porto foram nove, enquanto o Benfica teve apenas seis árbitros com estatuto internacional em 22 partidas do campeonato.

“Há uma gestão que está a ser feita, mas qualquer árbitro da primeira categoria está apto para arbitrar qualquer jogo da primeira divisão. Na teoria os árbitros internacionais deveriam estar nos grandes jogos, mas há condicionantes regulamentares e de disponibilidade física”, sublinhou ao PÚBLICO o presidente da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol, José Gomes.

O PÚBLICO tentou, sem sucesso, contactar o presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol, Vítor Pereira, para obter esclarecimentos.

Os números mostram que os principais árbitros têm estado afastados dos jogos dos três “grandes”. Pedro Proença, internacional desde 2003 e que em 2011-12 apitou as finais da Liga dos Campeões e do Euro 2012, foi nomeado para dois jogos dos emblemas que lutam pelo título: FC Porto-Vitória de Guimarães e Estoril-Sporting. Metade dos encontros para os quais a UEFA chamou o árbitro lisboeta (segundo classificado em 2012-13), nesta época, na Champions.

Jorge Sousa foi o melhor árbitro português em 2012-13, segundo a classificação do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol, mas também só apitou dois jogos de candidatos ao título – Marítimo-Benfica, na primeira jornada, e Gil Vicente-Sporting. O árbitro do Porto foi nomeado para um total de nove partidas da I Liga e 12 da II Liga. Olegário Benquerença, internacional desde 2001 e quinto classificado na época passada, só mereceu a nomeação para um jogo dos três “grandes”: o Olhanense-Sporting da quarta jornada. Enquanto isso, já foi chamado para cinco partidas das competições da UEFA.

A título de comparação, o britânico Howard Webb, árbitro profissional e um dos melhores do futebol mundial, apitou 23 jogos em 29 jornadas da Premier League, 11 deles a envolver equipas que lutam pelo título, e foi nomeado pela UEFA para cinco jogos da Liga dos Campeões.


http://www.publico.pt/desporto/noticia/os-melhores-arbitros-estao-afastados-dos-jogos-dos-tres-grandes-1627800

Olegário

Marinho Neves, há minutos, no seu Facebook:

"Aqui vai um relatório: Olegário Benquerença é capaz de tudo para conseguir atingir os seus objectivos, mas mesmo tudo. Basta analisar a sua carreira e tomar conhecimento de como geriu todas as suas promoções. Para além disto, está em final de carreira e está preso por fios. Sabendo que vai enfrentar uma poderosa máquina de poder, em caso de dúvida beneficiará sempre o mais poderoso. Quanto ao Sporting, tem de cair na real e deixar o medo nos balneários acreditando sempre que é possível contrariar forças ocultas. Ser cuidadoso nas zonas perigosas, não dar baldas para que o o árbitro invente, obrigando-o a entrar no escândalo se houver intenção de benefício. Pensar sobretudo e somente no jogo. O árbitro sabe que vai estar sobre atenção redobrada e depois do escândalo no jogo do Sporting da semana passada, a pressão é ainda maior."


"Com vaselina ou sem?"

10 de março de 2014

O paradoxo do leão

A discussão do momento é tentar perceber quem beneficiou mais com a nojenta arbitragem de ontem,  se o Benfica ou se o Porto. É ler os blogs, fóruns, Twitter e Facebook para perceber que há duas correntes de opinião:

- Uma, diz que é o Benfica quem mais beneficiou e que é bem feito para o Sporting, pois a impossibilidade de poder continuar a lutar pelo título é o preço a pagar pela suposta recente “aliança” entre Sporting e Benfica ou entre Bruno de Carvalho e Luís Filipe Vieira, como queiram.

- A outra diz que, como sempre, o “sistema” continua a ser do Porto e que nada mais natural que, numa semana em que o Porto se dirige a Alvalade para disputar o 2º lugar no campeonato que dá acesso directo à Liga dos Campeões, tenha aparecido um árbitro da Associação de Futebol do Porto nomeado para o jogo de Setúbal. Alguns juntam ainda a esta opinião que é o preço a pagar pela afronta de BdC ter terminado as hostilidades do início de época com o FC Porto com um corte de relações.


A minha opinião? Eu ‘tou-me completamente a cagar quem é que sai mais beneficiado!! O que eu sei é que fomos, mais uma vez, prejudicados, como já o tínhamos sido na Luz, no jogo da Taça, e em Alvalade, contra Nacional, Rio Ave e Académica. O Sporting é prejudicado porque… é o Sporting! Prejudicar o Sporting é algo tão banal subir os impostos. Já ninguém estranha.



Azul = alemães ; Laranja = russos



Porque é que a Polónia está constantemente, durante a sua história, a ser fodida, ora por alemães, ora por russos? Porque é a Polónia, um país que está, geograficamente falando, entre a Alemanha e a Rússia! Tal como o Sporting está, desportivamente falando, situado entre Benfica e Porto. Até ao dia em que lá se descubra petróleo ou algo do género e consigam subir na hierarquia mundial, os polacos continuarão a ser fodidos por alemães e russos. Tal como o Sporting continuará a ser fodido até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão. Mas para poder ser campeão não pode ser constantemente prejudicado. Mas continuará a sê-lo até ao dia em que for campeão.

Sportingofobia

O Ricardo escreve bem e é benfiquista e por isso, como já disse muitas vezes "Mantenha seus amigos por perto e seus inimigos mais ainda", costumo ler o blog dele. Ultimamente não leio tanto pois como é normal, quando se começa a ganhar, o sucesso embriaga e a soberba começa invadir o raciocínio. Gostava mais de o ler há uns meses atrás, quando ele se queixava da pouca utilização de jogadores portugueses no seu clube ou de quando se interrogava acerca de negócios como os do Roberto. Mas o blog lá continua no meu leitor RSS e hoje reparei que o Ricardo dedicou (mais um) post inteirinho ao Cherba, ex-Cacifo do Paulinho, actual Tasca do Cherba, e indirectamente, aos Sportinguistas que se queixaram da arbitragem do jogo de ontem.

Eu não tenho nada contra quem escreve acerca dos outros clubes - Raios, eu farto-me de o fazer! -, só me irrita é quem o faça, faça-o de uma forma presunçosa, hostil e depois de um dia ter escrito isto no seu blog:

 "PS - Raramente escrevo aqui sobre outros clubes mas hoje... tem de ser." Uma breve pesquisa e vemos isto:



Sei que há mais posts do Ricardo dedicados ao Sporting. (há um post infame onde ele junta uma série de preconceitos para caracterizar os Sportinguistas mas não me apeteceu procurar).

Sempre tudo escrito de uma forma a dar a entender que ele - Ricardo - é alguém deveras especial e que o facto de o seu avô ter sido um grande Sportinguista e ele e o pai serem Benfiquistas, o tornasse num ser superior, quase como que tendo pena de quem seja ou fosse Sportinguista. Enfim, tretas. Mas quando um gajo lia atentamente cada frase, cada palavra, sentia - pelo menos, eu senti - uma certa melancolia e tristeza do Ricardo em não ter seguido o que o seu coração o impelia a ser, um Sportinguista. Mas no fundo, o Ricardo é mesmo um Sportinguista, só que de "armário". A raiva e azia que transparece em cada palavra que o Ricardo dedica ao Sporting e aos "lagartos" só podem significar uma coisa: Sportingofobia

estudos que comprovam que os homofóbicos, por exemplo, tendem a ser gays de armário e com desejos sexuais reprimidos direcionados ao sexo oposto.

Mas o Ricardo não é caso único. Quem lê as crónicas semanais do "portista" Miguel Sousa Tavares, reparará também na quantidade de caracteres que ele dedica a amesquinhar o Sporting e os Sportinguistas. É outro "Sportinguista de armário", que também ia a Alvalade com o pai quando era pequenino. Tal como o Ricardo, que via jogos do Sporting com o avô.


O Benfica, em 2010

                             

Hipocrisia

"Descobres que a hipocrisia não tem limites quando reparas que aqueles benfiquistas, os que passaram anos a argumentar que não ganham mais por causa da fruta, são os mesmos que nos chamam chorões por nos queixarmos de esta época já termos sido roubados uma data de vezes."

by GVMX Videos, no Facebook

9 de março de 2014

Sir William


Clean penalty


Empatar direito por apitos tortos

Sei que muitos Sportinguistas não terão a mesma opinião e sei bem que dirão que é fácil criticar na hora das derrotas dos empates mas eu não tenho jeito nenhum para elogios e tenho de colocar em algum lado a frustração. Também foi para isto que criei o blog. ^^

Eu, no final do jogo.


Eu acho que o empate em Setúbal foi merecido. Gostei muito mais de ver os putos do Setúbal a jogar á bola do que a que a equipa do Sporting. E a arbitragem de Vasco Santos “empatou” direito por “apitos” tortos. Ou seja:

- Golo mal anulado ao Sporting. (Isto chegou a um ponto em que já só comemoro os golos do Sporting quando a equipa adversária recomeça o jogo com a bola a meio-campo)
- Golo duvidoso do Sporting.
- Golo do Setúbal vindo de um fora de jogo.
- Penalty discutível a favor do Sporting (e que eu não assinalaria num jogo de outra qualquer Liga que não a portuguesa).
- Penalty absurdo a favor do Setúbal.

Contas feitas, o resultado mais justo (mais pelo o que o Vitória jogou, não pelos golos alcançados) seria um empate 1-1.

Sim, a arbitragem esteve um desastre, para não variar, mas não considero que tenha sido isso a principal causa para o empate. A principal causa foi a de que não jogámos um caralho!! Quem não soubesse, diria que tinha sido, afinal, o Adrien a ter jogado a meio da semana e não o Sir William Carvalho. E quem começa o jogo com menos dois jogadores (Magrão e Carrillo), só pode estar agradecido por não ter acabado o jogo com uma derrota.

Os sinais já estavam aí desde há várias semanas mas aqueles golos a acabar os jogos tiveram o condão de nos dar os três pontos correspondentes à vitória e de mascarar as pobres exibições que vínhamos fazendo.
A pressão no meio-campo contrário acabou, as arrancadas do Jefferson até à área adversária (penalty em Coimbra?) desapareceram, o André Martins encolheu e o Montero fugiu. 

E - agora vou mesmo contra a doutrina dominante - se alguém tinha dúvidas, hoje ficou demonstrado por que razão o Paulo Bento não convoca o Adrien e o Cédric. Pronto, está dito.

Este jogo pôs-me a pensar, que raio iremos fazer à Champions a jogar assim? Não temos defesa para atacar lá na frente e não temos ataque para jogar cá atrás. Quero com isto dizer que não temos uma dupla de centrais suficientemente rápida (tínhamos o Ilori…) que nos permita jogar em ataque continuado permanente e não temos jogadores atacantes suficientemente rápidos que nos permita jogar em contra-ataque. Estamos aqui num limbo existencial. Se for para jogar a “sério” na Champions, ou contratamos um defesa central “top” ou um ou dois avançados/médios ofensivos “top”. Se formos para lá jogar desta forma, vai ser complicado.


Falei na Champions pois é isso que interessa realmente. Esqueçamos o título. Aliás, desde já, felicito o Benfica pelo título conquistado na época 2013/14 desta Liga em que o Abdolaye não joga contra o Porto, o Miguel Rosa não joga contra o Benfica e o João Mário joga contra o Sporting.

Parabéns, “campeões”.

Porquê?

Gostava de perceber porque é que a RTP dá notícias do 3º classificado primeiro e só depois do 2º classificado.

6 de março de 2014

O Sporting é um clube de guarda-redes - Jaguaré




"Stuhlfauth não foi o único guarda-redes a começar a abandonar o conforto da sua linha. Também o fizeram, o brasileiro Jaguaré, um verdadeiro fenómeno que disputou com os argentinos Ángel Rossio e Juan Botasso e com o uruguaio Andrés Mazali, o título de ser o primeiro grande guarda-redes sul-americano. (...)

Mas, no entanto, foi Jaguaré, tanto pela sua forte personalidade como pelo resto, quem se notabilizou mais dos primeiros guarda-redes sul-americanos. Nascido no Rio de Janeiro, em 1905, Jaguaré não teve uma educação formal e trabalhava como estivador quando foi detectado pelo clube Espanhol durante um jogo do clube do seu bairro, Saúde. Teve de aprender a escrever o seu nome de modo a poder assinar as fichas de jogo mas assim que o fez, rapidamente ganhou o lugar e foi contratado pelo Vasco da Gama. Aí, sempre usando um boné branco marinho, venceu um campeonato estadual em 1929 e jogou três jogos não-oficiais pela seleção nacional. A sua paixão por pregar partidas, que incluía fazer passar a bola por cima das cabeças dos avançados, trouxe-lhe muita admiração. Em 1931, Vasco da Gama participou numa digressão a Espanha e Portugal, jogando doze partidas, das quais venceram oito. Jaguaré impressionou, e foi lhe oferecido um contrato pelo Barcelona e também ao médio-centro Fausto dos Santos. As regras da época impediam que os estrangeiros jogassem partidas oficiais e por isso, apesar de Jaguaré ter jogado doze jogos amigáveis, recebendo por isso a alcunha Araña Negra, não podia participar em jogos da Liga, a não ser que se tornasse um cidadão espanhol. (...) Dos Santos foi para a Suíça, enquanto Jaguaré regressou ao Brasil.

Aí, começou a aparecer nos treinos do Vasco usando luvas que tinha trazido da Europa, o primeiro exemplo de guarda-redes a usar luvas na América do Sul. (...) Afinal, acabou por assinar pelo Corinthians, de São Paulo, mas quando contrataram depois József Lengyel, um guarda-redes húngaro, estava claro que os seus dias no clube estavam contados. (...)

Uma solução foi apresentada por Fernando Giudicelli, um talentoso centro-campista que jogou pelo Brasil no Campeonato do Mundo de 1930, antes de se ter tornado profissional na Europa. Uma carreira itinerante levou-o para o Torino, Young Fellows da Suíca e Bordéus, ao mesmo tempo que actuava como agente, ajudava jogadores amadores brasileiros a arranjar clubes na Europa. Giudicelli insistiu que conseguiria arranjar clubes em Itália, tanto para Jaguaré como para o defesa Vianinha. No entanto, assim que o seu navio tinha acabado de atravessar o Atlântico, tinha começado a Guerra Ítalo-Etíope, e por isso os três decidiram ficar em Portugal, todos eles assinando pelo Sporting. Nenhum durou muito tempo, embora Jaguaré sempre venceu o Campeonato de Lisboa antes de ser deposto do lugar por João Azevedo, que venceu sete títulos da Liga durante a sua década e meio no clube. Jaguaré foi para a França, assinando pelo Olympique de Marseille, no verão de 1936.(...)

Durante esses três anos [no Marseille], 'El Jaguar', como foi baptizado, tornou-se famoso por usar um boné branco, que costumava atirar aos seus opositores quando estes se preparavam para marcar penalties, e pelo seu hábito de pedir aos avançados contrários que se preparavam para rematar à sua baliza, gritando-lhes "Chuta! Chuta!" (...)

Jaguaré deixou Marselha em 1939. (...) Ainda fez uma breve paragem em Portugal, jogando nove partidas pelo Académico, antes de regressar ao Brasil. (...) Em Agosto de 1946 foi preso. Exactamente porquê, nunca se soube, mas sofreu uma pancada na cabeça resultante ou de um confronto com um polícia ou mais tarde na cela, e morreu como consequência, sendo sepultado numa campa rasa."

in The Outsider - A History of the Goalkeeper, de Jonathan Wilson, págs, 101, 102, 103 e 104









Jaguaré | Wiki Sporting

4 de março de 2014

Devem julgar que comemos todos gelados com a testa... parte 2

CASO MIGUEL ROSA EXPLICADO

"Opção teve em conta interesses da SAD azul - Preocupação de dar palco a jogadores cujas vendas possam ser negócios lucrativos - Benfica não colocou limitações a qualquer utilização

A vontade de criar condições para a promoção de jogadores que o Belenenses possa vender no futuro com boa rentabilidade, como Tiago Silva, esteve na base da decisão de tirar Miguel Rosa do jogo com o Benfica, no último domingo, apurou A BOLA junto de fonte da SAD do clube do Restelo.

Os direitos económicos de Miguel Rosa, de que o Belenenses garantiu os direitos desportivos por um período de cinco temporadas, são, em 90 por cento, do Benfica, clube de onde o jogador se transferiu e que ficou ainda com o direito de recompra do futebolista. No caso da maior parte dos outros jogadores do plantel, uma transferência trará sempre maior lucro à SAD do Belenenses - caso, por exemplo, de Tiago Silva (suplente utilizado no domingo), cujos direitos desportivos e económicos pertencem na totalidade aos azuis do Restelo e que neste momento é alvo do interesse de um clube estrangeiro que está disposto a investir nele uma verba importante.

Numa fase particularmente difícil, quando o plantel dos azuis do Restelo estava a ser construído e os meios não abundavam, o Benfica prescindiu de propostas mais favoráveis que tinha em carteira e acedeu a colocar Miguel Rosa no Restelo. Simplesmente, no ponto de vista das contas, uma venda de Miguel Rosa beneficiará sempre mais o Benfica, uma vez que o Belenenses apenas detém dez por cento dos direitos económicos.

Neste contexto, foi entendimento da SAD do Restelo que a melhor forma de defender os interesses do clube seria - sem impor qualquer decisão ao treinador e de forma a não beliscar as competências próprias de Marco Paulo -, num palco que suscita maior atenção que o habitual, mostrar outros jogadores.

Na atual situção do Belenenses, em que a SAD reduziu o passivo de dez para seis milhões de euros (embora neste encolhimento haja cerca de dois milhões dos investidores), a verba que pode entrar de uma transferência de Tiago Silva permitirá uma redução de 20 por cento do passivo, tendo, por consequência, impacto significativo na vida financeira dos azuis.

Na fonte contactada por A BOLA, «não há nem nunca houve qualquer limitação imposta pelo Benfica à utilização do Miguel Rosa ou de outro jogador qualquer por parte do Belenenses»."

por RICARDO QUARESMA, jornal A BOLA, terça feira, 4 de Março de 2014


Até o Tarantino achou piada.




Portanto, numa jornada em que o Belenenses se encontra no penúltimo lugar, o artista da A BOLA quer nos fazer crer que o clube do Restelo resolveu prescindir de um dos seus melhores jogadores, num dos jogos mais difíceis da época, de modo a apostar num outro jogador que poderá vir a render algum dinheiro numa hipotética venda futura, mesmo que esse mesmo jogador só tenha entrado em jogo aos 64 minutos e, portanto, apenas tenha jogado uns míseros 26 minutos! Brilhante.

Epah, dêem o Oscar de melhor argumento original a este "jornalista" da A BOLA, pah! Já ganhou!

3 de março de 2014

Em Portugal?

No passado dia 1 de Março, durante o jogo Roma 0-0 Inter, o jogador romano De Rossi espetou um murro no Icardi, jogador do Inter, que passou despercebido aos 5 árbitros do encontro (na Liga italiana, há árbitros de baliza, como na Liga dos Campeões).

No domingo seguinte, ontem, Prandelli, seleccionador italiano, nem pensou duas vezes: 'desconvocou' De Rossi por causa da atitude deplorável no jogo da noite anterior, ainda antes de se saber se haveria castigo a aplicar ao jogador ou não. (Já hoje, 3 de março, soube-se do castigo aplicado pela Federação Italiana de Futebol a De Rossi: 3 jogos)


Bom 'direita' mas gostei mais desta cotovelada ao McBride, em 2006.



Hoje, li no P3 do Público, que o seleccionador francês de rubgy, Saint-André, 'desconvocou' o jogador francês, Louis Picamoles (nome do caraças, lol), da preparação da equipa francesa tendo em vista o próximo jogo com a Escócia, devido, também, a uma atitude deplorável do jogador gaulês. Que atitude foi essa? Ora bem, no último jogo da França no Torneio das Seis Nações contra o País de Gales, Picamoles viu um cartão amarelo (que implica um 'castigo' de 10 minutos fora de campo). Quando se encaminhava para fora do relvado, Picamoles vira-se para o árbitro e aplaude-o sarcasticamente, como fez o Wayne Rooney aqui há uns anos, num jogo do Man Utd a contar para a Liga dos Campeões. Um aplauso!







Em Portugal?

"Paulo Bento divulgou esta sexta-feira a lista de 23 convocados para o encontro particular com os Camarões, marcado para a próxima quarta-feira, para o Estádio Municipal de Leiria. Vai ser o último jogo antes de ser conhecida a lista final dos 23 eleitos para a fase final do Campeonato do Mundo, que vai ser anunciada pelo selecionador a 19 de maio."

Lista de convocados

Guarda-redes: Eduardo (Sp. Braga), Beto (Sevilha) e Anthony Lopes (Lyon)

Defesas: Miguel Lopes (Lyon), João Pereira e Ricardo Costa (Valência), Pepe e Fábio Coentrão (Real Madrid), Rolando (Inter), Neto (Zenit) e Antunes (Málaga)

Médios: Raul Meireles (Fenerbahçe), João Moutinho (Mónaco), Miguel Veloso (Dínamo Kiev), William Carvalho (Sporting), Rúben Amorim (Benfica) e Josué (FC Porto)

Avançados: Rafa (Sp. Braga), Ivan Cavaleiro (Benfica), Edinho (Kayseri Erciyesspor), Hugo Almeida (Besiktas), Cristiano Ronaldo (Real Madrid) e Varela (FC Porto)

http://www.maisfutebol.iol.pt/selecao-mundial-2014-selecao-portugal-paulo-bento-ivan-cavaleiro-edinho-rafa/53108332e4b03065194996a6.html





ahahahahahahahahah