26 de janeiro de 2014

Mais espremido do que um limão

Da mesma forma que acho que a saída do Lucho foi benéfica para o Porto, também acho que a eliminação da Taça da Liga foi favorável para o Sporting. Após a falha que deu origem ao primeiro golo do Benfica no último clássico na Luz, era notório que Lucho só começava os jogos a titular no Porto por manifesta falta de tomates de Paulo Fonseca para colocar o argentino no banco. Ora, com a saída de “El  Comandante”, abre-se espaço para Fonseca colocar em campo Defour ou Quintero e, consequentemente, uma maior dinâmica do meio-campo do Porto. A desculpa perfeita.



A eliminação do Sporting, nesta fase da Taça da Liga, tendo em conta a forma como ocorreu – sete pontos, seis golos marcados, um golo sofrido – não envergonha e, caso nos tivéssemos apurado, implicaria ter de defrontar nas meias-finais (em duas “mãos”) o velho rival, o Benfica. Ora, tendo em conta a diferença substancial entre plantéis, esta eliminação até acaba por ser mais benéfico para o Sporting do que propriamente uma chatice. É que, muito embora a excelente época que estamos a fazer, o mais provável desfecho destas meias-finais seria a eliminação do Sporting às mãos do Benfica. (Eu sei que custa ler isto mas, acreditem, custa-me ainda mais a escrevê-lo). E porquê? Porque é verdade. Os lampiões têm um plantel do cara*** e nós estamos com o nosso mais espremido do que um limão numa sardinhada em pleno Agosto. E mesmo que os eliminássemos, que ganharíamos com isso, além do prestígio? Um jogo na final com o Braga em Abril, precisamente na recta final do campeonato? Thanks, but no thanks.


Limão em agosto está mais seco que o sentido de humor do lampião do Pedro Ribeiro


Num contexto específico em que contamos apenas com um único avançado em condições (Slimani lesionado, Cissé  e Betinho emprestados) e um plantel “curto” de opções (Rinaudo emprestado, se William se lesiona, como é?), acaba por ser positivo não termos de disputar mais jogos “a doer”. Concentremo-nos na Liga “a sério” e caguemos para a Taça Lucílio. Eles que se matem a jogá-la.

Por outro lado, vai ser engraçado ficar de fora, a vê-los a esgatanharem-se todos em mais um Porto-Benfica  nas meias-finais, a juntar a mais um provável clássico (Ou serão dois? Não me recordo se nas meias-finais, é apenas um jogo ou dois) na Taça de Portugal. Enquanto se esfolam nas taças (e na UEFA), nós “só” temos de ganhar os jogos da Liga.


E se nesta época percebi a intenção de Leo Garden e do Sporting em si, em colocar em campo a melhor equipa possível nos jogos da Taça da Liga, espero que na próxima época, caso não ocorram alterações na competição, o Sporting cague, literalmente, para esta Taça Lucílio da treta. 


P.S. Há quanto tempo não víamos um defesa-central do Sporting a avançar no terreno dentro até à grande-área contrária (e conseguir arrancar um penalty)?

4 comentários:

Mid disse...

Isto foi um "Hamilton campeão na última curva" que vale menos, quando o Massa cruzou a linha da meta campeão e o Hamilton ultrapassou o Sutil exactamente na última curva. Mas a verdade é que foi praticamente a última oportunidade que o Massa teve para ser campeão, porque depois disso foi relegado para segundo piloto e nunca mais fez algo de espectacular na Ferrari. Esperemos que não aconteça o mesmo connosco, e que o Jardim consiga puxar a equipa para cima e motivá-los para o campeonato que falta.

SL

Captomente disse...

Ah! Não sou o maior especialista de F1 mas percebi o que quiseste dizer. Grande comentário! :)

SL

Nuno Roxo disse...

depois do "banho" de ontem este post sabe bem!
o pápa já comentou o trabalho do talhante?

Captomente disse...

Eheh, o papa só fala quando as coisas correm mal... para o Porto! :P

Obrigado pelo comentário, volta sempre!

SL