11 de fevereiro de 2014

Benfiquite aguda

Não vou dizer que já sabia que íamos perder mas… eu sabia que muito dificilmente conseguiríamos empatar na Lixeira, quanto mais ganhar. E ainda por cima com a equipa completamente transfigurada devido às ausências de Jefferson, Carvalho e… Capel e Carrillo. Sim, para mim, foram quatro ausências daquela equipa-tipo que nos iludiu durante as primeiras jornadas da Liga e não apenas duas.

 Quando finalmente parecia que o Jardim estava, finalmente, a “domar” o génio do Carrillo e a ensiná-lo a “como se deve jogar na Europa” e onde vimos o peruano, por exemplo, a ajudar a defesa como nunca até aqui o tinha feito, eis que, subitamente, saem da equipa o jogador que conseguia meter a cabeça em água ao Maxi (Capel) e o Carrillo mais “europeu” que já tínhamos visto até agora. Mas pronto, são opções técnicas, não sou treinador e portanto não vou dizer que o Dier devia ter jogado ao lado do Maurício, o Rojo a defesa-esquerdo e o Adrien a “trinco”. Não.



O que quero falar é da doença que o Sporting começou a desenvolver desde há décadas e que só nos últimos anos, perante os sintomas evidentes, se chegou a um diagnóstico conclusivo e que resultou no tratamento de choque de março passado. Tal como o puto que começou a ir p’ra trás do pavilhão dar umas passas nos primeiros cigarros, deslumbrado com súbita aceitação no grupo mais cool do recreio da escola, o Sporting também se deixou deslumbrar com os milhões da Liga dos Campeões que começaram a cair nos cofres de Alvalade e com a entrada no gang mais in da Europa do futebol. Os efeitos adversos daquelas idas para trás do pavilhão (e depois na rua, no bar, em casa…) e das épocas de Filipe Soares Franco, Paulo Bento e JEB, estão agora a fazer-se sentir. O fumador que descobriu que tinha cancro do pulmão deixou de fumar em março passado, é verdade, mas não é por isso que se sente melhor agora. 

Com a quimio e radioterapia com que é obrigado a levar todos os dias para se manter vivo, admira é como ainda se consegue levantar todos os dias para ir à luta. O Sporting, após os anos de ilusão da Champions e a gastar o que não devia, viu-se obrigado também em março passado a iniciar um tratamento tão drástico quanto necessário. E mesmo que o Sporting esteja, lentamente, a curar-se da grave doença que o aflige, o que é certo é que vai levar anos e anos até vermos de novo um Sporting forte e saudável, tal como era aquele puto antes de começar a fumar e que só pensava em jogar à bola.



Tens lume?



Um dos sintomas da grave doença que o Sporting padecia e ainda padece é a forma como começou a encarar os jogos com o Benfica. Desenvolvemos uma benfiquite aguda. Deixaram de ser jogos para serem ganhos por si mesmo, pelo valor intrínseco que tem um derby e começaram, com FSF e PB, principalmente, a serem encarados como um meio para alcançar um fim: um lugar na Liga dos Campeões. 

 Aos poucos e poucos, os derbies deixaram de ser jogos diferentes para passarem a ser um jogo como outro qualquer. Aquele Sporting que aprendi a ver e que ia jogar à Luz ou às Antas como se estivesse a jogar em Alvalade (o Sporting de Pedro Barbosa ou Sá Pinto, por exemplo), deu lugar a um Sporting mais pragmático, menos corajoso, mais temerário… e o resultado está à vista: 8(!) anos sem ganhar na Lixeira. E não sei quantos sem marcar um único golo.


É... Isto ainda vai levar uns anos a curar e é por isso que, para mim, o mais importante não é saber qual a equipa que o Jardim pôs hoje a jogar ou se o Capel devia ter jogado de início ou se o Piris devia ter ficado em casa, nada disso. Neste momento, mais importante é saber se a maior parte destes jogadores estarão cá para o ano

Só assim conseguiremos acabar com esta benfiquite aguda; com dois, três, quatro anos seguidos a jogar com a mesma equipa-base, com o mesmo grupo de jogadores a enfrentar o ambiente adverso na Lixeira de modo a que, finalmente, o nosso equipa consiga desenvolver os anti-corpos necessários para combater esta maleita que nos aflige há anos. 

O que eu espero é que o Sporting se mantenha nos tratamentos e não tenha uma recaída que o leve começar a "fumar" novamente...

6 comentários:

Mid disse...

O que eu tenho a dizer sobre o jogo: Mau, mau, e mau.

Agora, não quero cá entrar em conversas de "ah e tal, devíamos ter mudado a equipa agora que o factor surpresa se desvaneceu". Pelo contrário, apoio a ideia do Jardim em não mudar de ideias. Mas o Jesus preparou bem a equipa para essas mudanças tácticas.

Merecemos perder, mais nada. Venha lá a reacção à derrota contra o Olhanense.

SL

Germano Bettencourt disse...

Se a solução, é essa que apresentas, então estás com azar, que por enquanto o Sporting tem mais uns anos de Quimio antes de voltar a crescer o cabelo. É evidente que vais ter de vender. Não a preço saldo, mas terás de vender por valores que não podes recusar.

Eu acho que a solução do Sporting também passa pelo inicio do tratamento do Benfica. O Benfica também tem vivido eludido, e possivelmente vai ter de voltar a fazer quimio outra vez. A diferença é que não tem tantas Metastáses na sua doença.

falando agora em tom de brincadeira, como o faço no blog, epá, vocês foram a jogo? :P

RP disse...

Depois da desilusão de ontem, pus-me a pensar que o problema do Sporting,quando joga partidas decisivas com os seus principais rivais não é desta época, é um problema que tem mais de 20 anos. Se te lembrares, e eu posso estar enganado, a única vez que vi o Sporting vencer um jogo desta importância para o campeonato, que nos pudesse colocar na liderança,vencendo um adversário direto, foi o jogo em Alvalade com o porto, em que vençemos 2-0, com acasa do secretário,tirando esse jogo, têm sido desilusões atrás de desilusões, o problema do Sporting é de mentalidade competitiva, porque se este ano existem diferenças na qualidade dos planteis,houve outras em que isso não aconteceu. Essa mentalidade tem que ser mudada, e foi exatamente esse aspecto que me entusiasmou com o Bruno de Carvalho, que me pareceu compreender a falta de exigência de alto a baixo, que era evidente no nosso clube. Devo dizer-te que a luta interminável contra as arbitragens, na minha opinião também não ajudou, porque facilita mandar as culpas para os outros, quando nós não fazemos aquilo que temos obrigação de fazer. Essa atitude de que falo, ontem fez-me lembrar aquele Sporting, que infelizmente vi tantas vezes ao vivo, e que falhava sempre nos momentos decisivos e que tantas desilusões me causou. Espero que tenha sido apenas um percalço. A minha palavra neste momento vai para os Sportinguistas que estiver no estádio,voçês são GRANDES. SL

Captomente disse...

@Mid Isso é o mais importante, ver como reagimos à derrota. O jogo com o Olhanense deveria ser já hoje!

@Germano Viva! Descobriste o tasco? :)

Só vejo essa solução: manter o "tratamento" (orçamento reduzídissimo) e tentar vender o menos possível. Sei que será inevitável a venda de um ou dois jogadores mas mais do que isso poderá significar a nossa "morte" (competitiva) por culpa, precisamente, da cura e não da doença...

Não referi no post mas é óbvio que se o Sporting conseguir entrada na fase de grupos da Liga dos Campeões, esse dinheiro poderá evitar (mais) saídas de jogadores. O que espero é que se mude a mentalidade do clube e que se olhe para a LC como algo que resulta do bom trabalho feito fora e dentro do campo e não se olhe para a LC como o objectivo "desportivo" final, como fizeram Soares Franco, Paulo Bento e JEB. Não, o objectivo final é ser campeão e jogar à "campeão".

Abraço e continua a aparecer!

@RP Sim, provavelmente terás razão. Mas mesmo assim, lembro-me que a atitude nos derbies/clássicos dos anos 90 era completamente diferente... Mesmo com vários pontos de atraso, maus treinadores, maus presidentes ou maus jogadores, entrava-se em campo para ganhar! Mesmo que acabássemos por perder o jogo. Agora, acho que a verdadeira quebra de mentalidade competitiva, como dizes, deu-se já neste milénio, após a saída de Peseiro e entrada de Paulo Bento. Com Paulo Bento, o mais importante nos derbies/clássicos não era ganhar, era não perder. E paulatinamente, com os sucessivos semi-sucessos dos 2ºs lugares e entrada na LC, a exigência foi diminuindo, jogo após jogo, ano após ano. Dito isto, não posso criticar muito esta direção, treinador e jogadores. Como disse, esta "doença" do Sporting vai demorar anos até ser totalmente erradicada... e espero que os adeptos que têm apoiado tanto a equipa esta época tenham isso em mente se, por acaso, terminarmos em 2º lugar ou mesmo em 3º, que era o objectivo que qualquer Sportinguista consciente almejava no início da época.

SL

Anónimo disse...

parece-me que estão a prolongar em demasia este taboo..compreendo que os comentadores se esforçam ao máximo para adiar esta aceitação por parte do sporting..mas todos já perceberam..o sporting é o novo satélite do benfica. o comunicado parece escrito por um lampião. o objectivo é claro. ajudar o benfica a ser campeão e prejudicar o porto

Captomente disse...

Ok...